Enviai o Vosso Espírito, Senhor

(Vandeia Ramos)

João nos conta que, depois de ter aparecido à Maria Madalena no início do dia, e a ter enviado para anunciar a Ressurreição, Jesus só aparece à noite aos discípulos. Interessante o quanto ele é suscinto. Os mesmos aos que o Mestre tinha dado um ministério específico são os que se encontram recolhidos, com medo do que lhes podia acontecer. No entanto, como prometera que apareceria depois de três dias, Jesus se coloca entre eles. Frente ao coração tumultuado, confuso, Ele lhes oferece a paz, a sua paz, a paz como fruto das chagas da cruz, de quem venceu o último obstáculo com a Ressurreição.
Jesus também não desiste de nós. Ele que nos escolheu, forma, oferece-se como alimento, Caminho, Verdade e Vida, é terno com nossos medos, dificuldades, cansaços. E vem a nós para se oferecer como repouso, descanso em suas chagas de amor. Nele, podemos olhar além de nós, nossas limitações, problemas, e contemplar que há algo que nos espera.
Mas ser discípulo não é ficar preso no cenáculo, com medo do que possa acontecer ao sair pelo mundo. Ser catequista é ser enviado aos demais para anunciar Jesus Cristo, acompanhados da paz que Ele nos oferece. E não vamos sozinhos, mas com o próprio Espírito Santo que nos guia.
No Antigo Testamento, o poder de perdoar os pecados é somente de Deus. Aqui temos Jesus que, enviando o Espírito, dá à Igreja reunida o seu poder. João não nos oferece mais detalhes sobre o encontro. Ele prioriza a presença de Jesus, o envio do Espírito e o que cabe à Igreja desde o início: a missão de santificar a humanidade.
Lucas continua nos Atos dos Apóstolos. A Igreja reunida no cenáculo, na antiga festa de Pentecostes, em que pessoas do mundo inteiro se encontram em Jerusalém. É o momento da Igreja sair do cenáculo e se manifestar publicamente, como ação do Espírito. Maria com os apóstolos seguiam em oração no local em que a Eucaristia foi instituída. No seguir o que Jesus tinha dito, cumpre-se o envio do Espírito.
Na continuidade do Espírito que paira sobre as águas no Paraíso, cobre a montanha do Sinai, fala pelos profetas, pousa sobre Maria na Encarnação, encontra-se em Jesus, os discípulos o recebem, Dom que é o próprio Deus, que se manifesta em nós para sua presença no mundo. Não para ficar guardado no coração ou como um talento enterrado, o Espírito nos vem para que possamos testemunhar Jesus Cristo.
A diferença das línguas da Torre de Babel, que isolava a cada um em seu desejo de ser grande como o céu, é superada na diversidade que enriquece a Igreja e não impede a comunicação. Há uma unidade que nos faz um único Corpo, na linguagem comum do Amor. Aqui começa o Tempo da Igreja.
Manifestando Deus no mundo, a Igreja anuncia as maravilhas de Deus a todas as nações. De diferentes modos, chega a todos, que se inclinam em sua direção, seja para ouvir, seguir, criticar ou mesmo negar. Do ecumenismo ao diálogo inter-religioso, diferentes espaços com ateus, a Igreja se coloca a serviço da humanidade em diferentes modos.
Neste servir, vemos configurados diferentes ministérios, desde o sacerdócio ministerial à catequese, os diferentes leigos que se põem à disposição em profissões, atitudes, atendimentos, como os que assumem atividades pastorais. Atender um enfermo em uma clínica, cuidar com honestidade das finanças públicas, ensinar em escolas, cuidar dos que mais precisam em instituições, liderar com humanidade… Somos Igreja, o Corpo do Senhor, alimentados pela Eucaristia, vivificados no Espírito, que saímos pelo mundo para cuidar do bem comum.
Na autoridade de quem nos envia, no Dom recebido a ser transmitido, Deus vai chegando a cada pessoa, tornando-se presente, renovando a criação.
E vendo as maravilhas que são feitas através de nós, servos inúteis, na consciência de nossa pequenez, podemos cantar ao Senhor, bendizer seu Santo Nome, nossa grande alegria!

Pentecostes

pentecostes
Jesus fundou a Igreja, mas era como pequena semente que o agricultor lança na terra. A semente da Igreja brotou e começou a crescer no dia de Pentecostes, pelo Dom do Espírito Santo, que Jesus tinha prometido. Já conhecemos o que aconteceu naquele dia: a experiência incrível da ação do Espírito, como fogo e vento impetuoso, a transformação dos discípulos, gente simples e medrosa em ardorosos missionários de Jesus Cristo… aquela multidão de pessoas de diferentes línguas e raças, que começam a entender e a falar a mesma linguagem (linguagem do Evangelho e do Amor) e que são batizadas para formar um só povo, o povo de Deus.
Foi neste dia de Pentecostes que a Igreja nasceu e começou sua caminhada, tornando visível sua missão de ser o sinal e o instrumento da comunhão e da fraternidade universal (Reino). Naquele começo da Igreja houve uma presença muito especial e que continuaria marcando toda a longa história da verdadeira Igreja de Jesus: lá estava Maria, reunindo os discípulos de seu Filho, com seu coração de mãe e, junto com eles, implorando o Dom do Espírito Santo.
Assim como Maria faz parte indispensável da vida de Cristo, faz parte também da Igreja, desde o dia de seu nascimento, como mãe e modelo. Não se pode falar de Igreja, se Maria não está presente! Logo após Pentecostes, a Igreja, cheia do Espírito Santo do Senhor, começou sua caminhada ; vivendo como Jesus tinha ensinado, organizando- se e levando à frente a missão que Jesus lhe tinha confiado. Vejam o que diz o livro Atos dos Apóstolos (Capítulo 2 e 4) sobre a vida desta primeira Igreja:
Os seguidores de Jesus preservaram-se fiéis aos ensinamentos dos apóstolos; Viviam bem unidos, eram um só coração e tinham em comum todas as coisas; Rezavam juntos no templo e reuniam- se também nas casas, para celebrar a Ceia (fração do Pão); Partilhavam seus bens com os necessitados e curavam os doentes; Davam um bonito testemunho de amor. Esta é a verdadeira Igreja!

Junho: um mês muito abençoado!

“A graça e a paz vos sejam dadas em abundância.” (1Pd 1,2)

O mês de junho é dedicado ao Sagrado Coração de Jesus e ao grande sacramento da Eucaristia, centro da história de todos aqueles que por Ele entregam sua vida, nele aportam seu destino e esperança. É, portanto, também o mês de tantos santos muito conhecidos e amados do povo de Deus.

Como por exemplo: Santo Antônio, São João Batista, São Pedro e São Paulo.

Corpus Christi (expressão latina que significa Corpo de Cristo) é uma festa móvel da nossa querida, amada e santa Igreja Católica que celebra a presença real e substancial de Cristo na Santíssima Eucaristia.

É realizada na quinta-feira seguinte ao domingo da Santíssima Trindade que, por sua vez, acontece no domingo seguinte ao de Pentecostes. É uma festa de ‘preceito’, isto é, para nós católicos é de comparecimento obrigatório participar da Missa neste dia.

Falando em Pentecostes, vejam como está bem explicado na Bíblia para Crianças da Canção Nova:

Catequistas: Somente com a força do Espírito Santo o envio missionário encontra sua razão de ser e a garantia da bênção do Senhor!

 

 

 

 

Catequistas Unidos – um novo Pentecostes

Hoje é um dia muito especial para nós cristãos, pois celebramos a vinda do Espírito Santo sobre Maria e os Apóstolos:

No dia de Pentecostes, o Espírito da promessa foi derramado sobre os discípulos, “reunidos no mesmo lugar” (At 2,1), esperando-o, “todos unânimes, perseverando na oração” (At 1,14). O Espírito, que ensina a Igreja e lhe recorda tudo o que Jesus disse, vai também formá-la para a vida de oração. (CIC §2623)

E o Espírito Santo escolheu justamente este dia para reacender a chama evangelizadora dos Catequistas Unidos, grupo que participo desde 2011, com outros catequistas blogueiros, que estavam um pouco afastados, mas se reencontraram e formaram um grupo no Whatsapp para compartilhar experiências, formação, espiritualidade e acima de tudo o amor de Cristo!

Por enquanto os que estão participando são esses:

Roberto Garcia – Blog do Catequista Roberto

Jonathan Cruz – Catequese com Crianças

Layse Bispo – Catequese Kids

Cláudia de Jesus Pinheiro – Catequese na Net

Wania Dias – Catequista Wania

Érica Magro – Catequizando com Amor

Patrícia Bonot – Catequizando com Jesus

Kesia Lima – Jardim da Boa Nova

Angela Rassele Corteletti – Nos Passos de Jesus

Sheila Jorge – Semeando Paz

Imaculada Cintra – Sou Catequista de IVC

Ana Paula Brito Generoso – Tia Paula

Silvanety Gonçalves Martins David – Vinde Todos Evangelizar

Jesus, sopra teu Espírito Santo sobre nós e envia-nos para sermos testemunhas de seu amor!

pentecostes

OREMOS:

Espírito de Deus, tornai-nos disponíveis à Vossa visita,

fazei crescer em nós a fé na Palavra que salva.

Sede a fonte viva da esperança que germina nas nossas vidas.

Sede em nós o sopro de amor que nos transforma

e o fogo de caridade que nos impele a darmo-nos a nós mesmos,

através do serviço aos nossos irmãos.

Vós, que o Pai nos enviou,

ensinai-nos todas as coisas e fazei com que compreendamos a riqueza da Palavra de Cristo.

Afirmai em nós o homem interior, fazei com que passemos do temor à confiança, a fim de que brote em nós o louvor da Vossa glória.

Sede a luz que vem colmar o coração dos homens e dar-lhe a coragem de Vos buscar incansavelmente.

Vós, Espírito de verdade, introduzi-nos na Verdade completa,

a fim de proclamarmos com determinação o mistério de Deus vivo

que age na nossa história.

AMÉM

 

 

Meditação sobre Pentecostes

Domingo de Pentecostes – Evangelho Comentado

A descida do Espírito Santo sobre Nossa Senhora e os discípulos

Cinqüenta dias depois da Páscoa, cumpre-se a promessa de Jesus:

“Quando chegou o dia de Pentecostes, os discípulos estavam todos reunidos no mesmo lugar. De repente, veio do céu um barulho como se fosse uma forte ventania, que encheu a casa onde eles se encontravam. Então apareceram línguas como de fogo que se repartiram e pousaram sobre cada um deles. Todos ficaram cheios do Espírito Santo e começaram a falar em outras línguas, conforme o Espírito os inspirava” (At 2,1-4).

Este acontecimento maravilhoso e extraordinário inunda a vida dos discípulos de Jesus com uma luz jamais experimentada. A vinda do Espírito Santo provocou em todos os presentes uma compreensão mais profunda das maravilhas de Deus.

O Espírito Santo é a alma da Igreja. A ela Ele foi dado como garantia de seu caminho, de modo que o mal nunca prevaleça contra a Igreja, e os discípulos, unidos aos seus pastores, conheçam com segurança os caminhos do Senhor e tenham força para colocá-los em prática. O Espírito Santo é Deus com o Pai e o Filho. Ele é o amor que existe entre o Pai e o Filho. Ele procede do Pai e do Filho.

ORAÇÃO:

Ó Senhor, nosso Deus Altíssimo, o Pentecostes mostra a primeira comunidade de cristãos reunida com a Mãe de Jesus e fortalecida pela poderosa efusão do Espírito Santo, pronta para a missão evangelizadora.
Pela intercessão da Virgem Maria, a Mãe de Deus e Mãe do meu Salvador, renovai nos dias atuais o vigor de Pentecostes: Vinde ó Espírito Santo! Tocai nossos corações, inundai nossas almas e fortalecei-nos com Vossa presença; iluminai nossas mentes para que possamos vivenciar nas nossas relações cotidianas o que escutamos e pedimos em oração; libertai-nos de toda fraqueza, das enfermidades físicas e espirituais (vícios, concupiscência, mágoa, depressão); lavai-nos com a água da cura e do amor, convertei-nos e restaurai nossas almas.
Nós vos suplicamos ó Pai Santo, por Jesus Cristo, vosso Filho amado, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo. Amém!

(Fonte)

Pentecostes – Dons e carismas

(Enviado pelo Padre João de Deus)

Pentecostes

O Tempo Pascal dura 50 dias, da Páscoa a Pentecostes, festa dos dons e carismas para nós, cristãos.

Essa festa já existia entre os judeus, que celebravam a colheita, uma festa de ação de graças, da qual muitos participavam, em Jerusalém.

Na festa de Pentecostes, depois da Ressurreição de Jesus, os discípulos e Maria estavam reunidos no Cenáculo, em oração, quando o Espírito Santo desceu sobre eles, em forma de vento e línguas de fogo, passando a ter novo significado para os cristãos. Uma vitalidade divina se expressa em diversos dons e carismas.

Os dons do Espírito Santo são inúmeros e ajudam-nos a bem pensar, a julgar e agir em todas as circunstâncias. São mencionados sete, pois, no contexto bíblico, o número sete significa totalidade e perfeição. São eles:  Sabedoria; Inteligência; Conselho; Fortaleza; Ciência; Piedade; Temor de Deus.

O dom da Sabedoria é uma disposição sobrenatural da inteligência, que nos leva a dar valor às coisas de Deus, à glória de seu nome e que nos torna felizes.

O Entendimento, ou dom da inteligência, dá-nos uma compreensão profunda das verdades reveladas; faz-nos ver o que é divino, sob a aparência do que é material.

O dom do Conselho é a luz que o Espírito Santo nos dá, para sabermos o que convém dizer e fazer, nas diversas circunstâncias da vida.

A Fortaleza ajuda-nos a suportar dificuldades, tribulações e a realizar, se necessário, atos heroicos.

O dom da Ciência reforça a nossa fé e ajuda-nos a julgar e discernir retamente as coisas criadas.

O dom da Piedade produz em nós uma afeição filial para com Deus, adorando-o com amor sobrenatural; e uma terna afeição para com as pessoas e coisas divinas.

O Temor de Deus leva-nos a ter para com Deus uma relação filial, amorosa e respeitosa.

Recebemos dons diferentes, sementes que devemos cultivar. Algumas pessoas recebem carismas.

“Extraordinários ou simples, os carismas são graças do Espírito Santo, dados para a edificação da Igreja, para o bem das pessoas e para suprir as necessidades do mundo”. (CIC 799)

Jesus contou uma parábola sobre um senhor que ia viajar e confiou a seus empregados alguns bens, alguns talentos para que os fizessem render. E os deu em quantidades diferentes. Hoje, percebemos que Deus confia em nós, na procura dos meios para desenvolver dons e talentos.

Conta-se que um caminhante descobriu uma loja chamada “A Loja de Deus”. Entrou e viu um Anjo no balcão. Maravilhado, perguntou-lhe:

– Anjo do Senhor, o que vendes? A que o Anjo respondeu:

– Todos os dons de Deus. Aqui tudo é de graça.

O caminhante observou jarros de fé, pacotes de esperança, caixinhas de sabedoria. Tomou coragem e pediu:

– Por favor, quero amor, perdão, fé, felicidade e sabedoria para mim e toda minha família. Então, o Anjo do Senhor preparou um pequeno embrulho.

Sem entender, o caminhante perguntou como era possível colocar tantas coisas no pequeno embrulho.

O anjo respondeu-lhe sorrindo:

– Na Loja de Deus não oferecemos frutos, apenas sementes.

É tradição da Igreja Católica fazer a novena, unir-se em oração durante os nove dias que antecedem a Festa de Pentecostes. Recomenda-se implorar a graça de acolher os dons, o maior deles é o Amor.

Ir. Zuleides Andrade, ASCJ
Programa “Conversas do Coração”
Domingo: das 21h às 22h
Rádio Evangelizar AM1060 / FM 90.9