Eu amo ser catequista!

semeandocatequese

A minha turminha de catequese tem 27 crianças com idade entre 07 e 09 anos. São muito pequenos, portanto preciso ser criança como eles, falar a linguagem deles.  A gente sempre brinca, canta, faz desenho e conversa bastante.

O tema do encontro de ontem, apesar de estarmos em junho, foi o nascimento do Menino Jesus: o Presépio, o Natal, a Família de Nazaré… (estou seguindo a sequência do livrinho deles).

Aqui fui eu tentando desenhar no quadro o diálogo de Jesus e Maria quando se reencontram no templo:

IMG_20160626_112552

Além do tema do livro, aproveitei para falar um pouco sobre a Missa, pois eles ainda não conseguem se concentrar e entender o grande momento de oração que é a Santa Missa e, como estou fazendo um curso de liturgia na paróquia, aproveitei para antecipar este tema também com eles.

Li essa historinha:

A FESTA DO CEBOLINHA

Você também foi convidado para a festa de aniversário do Cebolinha. Preste muita atenção em tudo que acontece, depois nós vamos ver que a Missa é uma festa também!

FESTA DO CEBOLINHACebolinha está muito feliz! É seu aniversário!
Ele convidou muitas pessoas para sua festa.
Dona Maria Cebola, a mãe do Cebolinha, preparou tudo com
muito carinho: bolo, enfeites, mesa, músicas, brincadeiras…
Cada pessoa que chegava para a festa era recebida com alegria pela família, deixando todos muito à vontade.
O Cascão e o Cebolinha estavam de mal por causa de uma briga no futebol, mas Cascão aceitou o convite do amigo e quando chegou à festa, abraçou o Cebolinha e pediu desculpas.
As pessoas estavam animadas e conversavam sobre suas vidas, sobre os acontecimentos da última semana, sobre seus problemas e suas alegrias. Então, o Seu
Cebola, pai do Cebolinha, começou a contar coisas de quando ele ainda era bem pequenino. Falava com orgulho de como o seu filho era esperto, bonzinho, inteligente…
Muitas pessoas começaram a abraçar o Cebolinha, desejando-lhe feliz aniversário, tudo de bom e que Deus lhe iluminasse e lhe cobrisse de bênçãos.
O Cebolinha ganhou muitos presentes. As pessoas que chegavam, vinham lhe ofertar seu presente com um grande sorriso de felicidade.
Sua mãe trouxe um bolo lindo e colocou sobre a mesa, junto com os refrigerantes.
Cebolinha estava abrindo seus presentes, cada um lhe dava mais alegria que o outro…
Então, ele olhou para sua mãe e falou:
“Lembla, mãe? No ano passado a vovó estava aqui também. Agola ela já está lá no céu, e eu sei que um dia nos vamos nos encontlar com ela, junto com Nossa Senhola, os anjos e os santos… Por falar em santo, que bom que o Padle João veio, né mãe?”
“É mesmo Cebolinha. Ele batizou você quando ainda era um bebê e agora tá aqui festejando seu aniversário!”
Chegou a hora de cantar PARABÉNS. Todos ficaram de pé, se aproximaram da mesa
e cantaram com entusiasmo.
Partiu-se o bolo e serviu-se o refrigerante. Todos comeram e beberam. Estava uma
delícia!!!
Cada um que ia embora agradecia a família pela festa, pela receptividade, por tudo.
E se despediam com um sorriso e um até breve.
No dia seguinte, Cebolinha foi brincar com seus presentes. Então, ele viu que tinha
muitos, muitos brinquedos e resolveu dar alguns deles para o Cascão.

Depois contei que a Missa também é uma grande festa para nós, comparando com a festa da historinha teremos:

missa festa

Eu perguntei para eles se alguma coisa tinha mudado nas suas vidas desde que começaram a frequentar a Catequese…  Eles disseram que sim, que passaram a ajudar mais a mamãe em casa, a respeitar os outros e a não fazer coisas erradas na escola. Eu fiquei muito feliz e disse que a Missa e a Catequese nos tornam Missionários e temos que levar aos outros que convivem conosco as coisas que aprendemos na Igreja.

Então entreguei uns coraçõezinhos, feitos com EVA e com um pedacinho de ímã atrás e pedi que eles colassem na geladeira da casa deles, sem falar nada, para ver quem iria reparar no recadinho de Deus para eles. No próximo encontro vão me contar qual a reação da família…

Vejam como ficaram:

IMG_20160626_071332 IMG_20160626_071240

As frases foram essas:

  • Jesus te ama! E eu também!!
  • Converse com Deus. Ele é seu melhor amigo.
  • Sinta-se especial.
  • Deus ama você.
  • É bom ser importante,  mas é mais importante ser bom.
  • “Amai-vos uns aos outros como Eu vos amei.” Jesus Cristo
  • Lembre-se sempre de Deus, pois Ele nunca te esquece…
  • O Senhor é meu pastor, nada me faltará. (Sl 23,1)
  • Seu sorriso pode ser a semente de um mundo mais feliz!
  • Confia no Senhor com todo o teu coração. (Pr 3,5)
  • A amizade é uma benção de Deus.

(A historinha e as frases encontrei nesta apostila aqui)

Anúncios

Arquidiocese do Rio constitui 1.046 novos MESCs

A Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro constituiu mais de mil novos Ministros Extraordinários da Sagrada Comunhão (Mesc’s) durante celebração eucarística presidida pelo arcebispo do Rio, Cardeal Orani João Tempesta, na manhã de sábado, 26 de setembro, na Catedral Metropolitana, no Centro.
“É um exército de Cristo”, disse o cardeal, em referência aos 1.046 novos ministros que se somam aos oito mil existentes.
Os ministros investidos são de sete vicariatos territoriais, sendo 158 do Oeste, 251 do Norte, 16 da Leopoldina, 102 de Jacarepaguá, 255 do Suburbano, 121 do Sul e 143 de Santa Cruz.
Dom Orani ressaltou que todo cristão batizado é chamado por Deus para viver uma vida de santidade. “O ministro deve ter essa vocação e a vontade de dar exemplo aos seus irmãos”, disse. “Receber de Deus o chamado para ser um Ministro Extraordinário da Sagrada Comunhão é ter ainda mais a confirmação de que o Senhor o convoca para uma vida santa. É o próprio Cristo que se leva nas mãos. É uma missão que faz o ministro configurar sua vida a Jesus”.
Durante a Missa, o cardeal celebrou o rito de investidura, perguntando aos candidatos sobre a responsabilidade do ministério, e dando-lhes a bênção. Os materiais dos Mescs (teca, manual e bolsa do viático) também foram abençoados.
Os candidatos a receberem o ministério são escolhidos pelo pároco da comunidade de origem e, depois, direcionados a participar de curso de formação, que acontece em cada um dos vicariatos.
A organização do curso é realizada pela Comissão Arquidiocesana, que conta com a liderança leiga da ministra Maria Carolina Cancella de Amorim, em parceria com as coordenações vicariais e clérigos que acompanham o trabalho.
O assessor eclesiástico, padre Marcelo Batista, explica que o Ministro Extraordinário da Sagrada Comunhão é, na Igreja Católica, um leigo a quem é dada a permissão, de forma temporária, de distribuir a Eucaristia aos fiéis, na missa ou noutras circunstâncias, quando não há um ministro ordenado (bispo, presbítero ou diácono) que o possa fazer. Os ministros realizam também a Celebração da Palavra com distribuição da Comunhão nas comunidades e na casa dos enfermos. “É necessário que tão íntima participação no serviço eucarístico seja realizada com o pleno conhecimento de causa e com toda dignidade”, diz. Uma das atribuições dos Mescs é assistir com a comunhão os enfermos impossibilitados de participarem da Santa Missa.

Veja abaixo as fotos, com destaque para os novos Ministros da minha paróquia:

Novos Ministros RJ

(Fonte)

Verdadeiros cristãos servem gratuitamente

Um discípulo é chamado a caminhar para servir e a anunciar o Evangelho gratuitamente, vencendo o engano “que a salvação vem das riquezas”. (Papa Francisco)

Papa Francisco Lava pés

Comentando o trecho do Evangelho em que Jesus envia os discípulos a anunciar a Boa Nova, o Papa disse que Jesus não lhes aponta um caminho ‘passeio’, mas os envia com uma mensagem: anunciar o Evangelho, sair para levar a Salvação, o Evangelho da Salvação. “Este – acrescentou – é o dever que Jesus dá a seus discípulos. Se um discípulo fica parado e não sai, não dá o que recebeu no Batismo aos outros, não é um verdadeiro discípulo de Jesus: falta-lhe a missionariedade, já que não sai de si mesmo para levar o bem aos outros”.

“O percurso do discípulo de Jesus é ir além para levar esta Boa Notícia, mas há outro também: o percurso interior, o percurso dentro de si, o percurso do discípulo que procura o Senhor todos os dias na oração, na meditação. O discípulo deve fazer este percurso porque se não buscar sempre a Deus, o Evangelho que levará aos outros será um Evangelho frágil, aguado, sem força”.

“Este duplo percurso – disse – é o duplo caminho que Jesus quer de seus discípulos. Há ainda a segunda palavra: ‘Servir’. Um discípulo que não serve aos outros – disse o Papa – não é cristão. Ele deve fazer o que Jesus pregou nos dois alicerces do cristianismo: as Bem-aventuranças e o ‘protocolo’ com o qual seremos julgados. Estes dois alicerces – advertiu – são a base própria do serviço evangélico”.

“Se um discípulo não caminha para servir não serve para caminhar. Se a sua vida não é para o serviço, não serve para viver como cristão. E ali está a tentação do egoísmo: ‘Sim, eu sou cristão, eu estou em paz, eu me confesso, vou à missa, cumpro os mandamentos’. Mas o serviço aos outros: o serviço a Jesus nos doentes, nos encarcerados, nos famintos, nos despidos. É o que Jesus nos disse que devemos fazer, porque Ele está ali! O serviço a Cristo nos outros”.

A terceira palavra é “gratuidade”. “Gratuitamente vocês receberam, gratuitamente devem dar”, é a advertência de Jesus. “O caminho do serviço é gratuito – sublinhou –, porque nós recebemos a salvação gratuitamente, pura graça: nenhum de nós comprou a salvação, nenhum de nós a mereceu. É pura graça do Pai em Jesus Cristo, no sacrifício de Jesus Cristo”.

“É triste quando se encontram cristãos que se esquecem destas Palavras de Jesus: “Gratuitamente vocês receberam, gratuitamente devem dar”. É triste quando encontramos comunidades cristãs, sejam paróquias, congregações religiosas, dioceses, quaisquer que sejam as comunidades cristãs, que se esquecem da gratuidade, porque por trás disso e sob isso há o engano (de presumir) que a salvação vem da riqueza, do poder humano”.

Três palavras, disse o Papa, “como um caminho para anunciar. Serviço: a vida do cristão não é para si mesmo, é para os outros, como foi a vida de Jesus”. E terceiro: “gratuidade. A nossa esperança está em Jesus Cristo, que nos envia uma esperança que nunca desilude”. Mas, advertiu, “quando a esperança está na própria comodidade do caminho ou a esperança esta no egoísmo de buscar as coisas por si mesmo e não servir os outros, ou quando a esperança está nas riquezas ou nas pequenas seguranças mundanas, tudo isso desmorona. O próprio Senhor o faz desmoronar”.

(Fonte)

História de uma mesa

mesa

Eu era uma mesa novinha. Bonita. Feita pelas mãos do melhor carpinteiro do mundo…
Fui entalhada com amor, com matéria prima de qualidade. Nasci forte. Meus detalhes foram esculpidos com sentimento, com o carinho das mãos do meu pai. Não há outra mesa como eu em toda Terra.
Participei de bons momentos. Ajudei muito. Estive presente nos tempos de alegria e nos tempos de dificuldade. Sempre firme, segurando tudo e a todos. Jamais rejeitei uma carga, mesmo que estivesse acima da minha capacidade…
Quanto significado tive na vida dos que me rodeiam! Participei do progresso, da luta. Recebi lágrimas e risos. Sempre me doei e sei que se não estivesse ali, faria muita falta. Mas, como sempre estava, quase nunca era notada.
E assim transcorreu minha vida. Como a vida da maioria das mesas: sempre muito participante, cooperando, mas sem reclamar muitos cuidados. Afinal a função da mesa é servir.
Mas o tempo passou, e com ele, e a falta de cuidado, fui me desgastando. Minhas quinas um pouco rachadas tornaram-se ásperas. Às vezes, acabava ferindo alguém, mas não era de propósito.
Talvez, se tivessem me restaurado no início, eu voltasse a ser bela e útil como antes. Mas a vida é tão corrida e não há tempo a perder com restaurações…
Mesmo apesar do desgaste, do mau uso e da falta de cuidado, prossegui em minha missão, doando o melhor de mim.
As pessoas ao redor acostumaram-se com minhas arestas e, para evitar um ferimento, desviavam-se de mim.
Quando necessitavam, chegavam com cautela para que não houvesse atrito entre nós.
Apesar do meu esforço em resistir, pude perceber que algo me roía por dentro. Já não tinha a mesma força de antes. Sentia minhas pernas fraquejarem ao menor peso. Meu tampão antes tão belo e forte, agora cheio de manchas e rabiscos, parecia afundar em si mesmo.
Senti medo, pois não sabia o que estava acontecendo, mas ainda queria servir e estar presente.
Um dia, quase sem perceber, desmoronei.
Todos dão uma desmoronada, um dia.
O peso era pequeno, mas para mim parecia uma tonelada!
Quebrei o que estava sobre mim e também algumas coisas à minha volta.
Feri os que eu mais amava, pois estavam mais próximos na hora da queda.
Todos me olharam com espanto, alguns com indignação, outros com raiva.
Ninguém esperava aquilo. Nem eu. Mas já havia sido devorada, em meu interior, por bichinhos rápidos e silenciosos chamados “cupins”.
Os cupins costumam deixar uma “sujeirinha”, mas a pressa, às vezes, nos impede de parar e socorrer a mesa antes que ela desabe. Afinal ela ainda está servindo para a sua finalidade…

Sabe, gente, esse cupim se chama DEPRESSÃO.
A mesa sou eu. A mesa é você. É sua mãe que lhe importuna. É seu avô que reclama demais. É seu filho rebelde. É seu namorado ciumento e estressado. É o desemprego. O marido ausente e pessimista. É a esposa impaciente.
Relendo a história da mesa, você poderá considerar sua própria vida, e a vida daqueles que a cercam.
Estamos caminhando para o mesmo fim?
Eu lhe digo.
Mesmo que sua mesa tenha caído, mesmo que ela tenha quebrado muitas coisas e pareça imprestável; mesmo que vá dar muito trabalho consertá-la, CONSERTE-A!
Não descarte seus pais, seus filhos, seu cônjuge, seus amigos.
Não descarte a si mesma!
É possível a restauração!
A pessoa deprimida é aquela que doou tudo de si, que esvaziou-se por completo para alcançar algo que ela considerava um bem…
A pessoa deprimida precisa de companhia. Alguém que ajude a encontrar o melhor material para preencher os vazios que a depressão causou. Que ajude a aparar as arestas. Alguém que a queira nova outra vez.
Se, para todo bem, há uma participação Divina, Deus neste momento está providenciando o necessário para que você encontre forças e alternativas para ajudar.
Se você está em depressão, erga os olhos.
A ajuda vem do alto.
Mas também vem dos lados: de um abraço, uma conversa, uma carta, um e-mail.
Lembre-se de que, para Deus, tudo é possível.
É POSSÍVEL SER UMA MESA NOVA!

A depressão é uma travessia..Um estado de espírito.. Um momento…
Ela pode durar muito ou pouco. Mas, em qualquer das hipóteses, fica mais fácil na companhia de Deus, da família,e dos amigos verdadeiros. Confie!

Texto: “Depressão, onde está?”
Enviado pelo Pe. João de Deus
Colaboração: Marcelo Fiolo P. de C. Ferreira

Descanse na Presença do Altíssimo

DEUS, não quero nunca andar sem Ti. Nunca me deixes ir a nenhum lugar se a Tua presença não for comigo.

moises

Moisés tinha uma grande obra em sua mãos. Ele sabia que precisava da presença de DEUS e buscou a certeza de que DEUS iria com ele e o ajudaria (êxodo 33,12-14). Isto é tudo que precisamos também – a presença de DEUS e o Seu descanso. Não importa o quanto nossas circunstâncias sejam difíceis, o conhecimento da Sua presença nos fortalecerá e nos capacitará a executar a obra que nos foi confiada. Lembre-se de buscar a presença de DEUS e não os “presentes” de DEUS.

Às vezes, podemos ficar contrariados e frustados quando tentamos trazer esperança e cura aos outros, mas ao longo do tempo o Senhor ensinou-me e à minha equipe a permanecermos calmos, firmes e em paz diante dos desafios. Ele nos mostrou a importância de nos adaptarmos, de mantermos nossos olhos n’Ele e de não nos concentrarmos em nossos próprios planos. Se as coisas não acontecem como queremos, precisamos ficar em paz e confiar que Ele nos mostrará o que fazer. Ando aprendendo que quando estou contrariado não posso ouvir claramente a voz do Senhor; portanto, busco a PAZ todo o tempo.

Como você reage quando seus planos fracassam e parece que não há nenhuma opção?
Alguns simplesmente desistem, dizendo: “Bem, é o fim! Agora meu plano está arruinado!”
Precisamos pensar em quem o arruinou. Se DEUS arruinou o nosso plano, para início de conversa, é porque tínhamos planos errados. Se o diabo arruinou o nosso plano, o Senhor nos dará outro plano, um plano dez vezes melhor do que aquele que fracassou. É muito comum colocarmos a culpa no diabo como uma resposta condicionada quando as coisas não acontecem do jeito que queremos. Nem tudo é culpa do diabo. Há vezes em que estamos tentando fazer coisas que nunca foram da vontade de DEUS. Embora haja coisas que possamos querer, devemos aprender a querer o que DEUS quer muito mais do que querer o que queremos!

A qualquer momento em que os nossos planos não estejam funcionando, devemos submetê-los a DEUS e simplesmente descansar na Sua presença. O salmo 91,1-2 nos encoraja:

“Aquele que habita no abrigo do Altíssimo e descansa à sombra do Todo-Poderoso pode dizer ao Senhor: ‘ Tu és o meu refúgio e a minha fortaleza, o meu DEUS, em quem confio'”.

Precisamos entender que DEUS é o nosso refúgio e a nossa fortaleza. Podemos contar com Ele e confiar inteiramente n’Ele. Se o diabo está se opondo a você e lhe causando problemas, DEUS lhe mostrará isso. Seu próximo passo é assumir a autoridade sobre o inimigo, lembrando-lhe que Aquele que é maior vive dentro de você. Enquanto você resistir ao diabo e confiar em DEUS com firmeza, o plano do Senhor sempre prevalecerá.

Moisés pediu a DEUS que lhe revelasse os Seus propósitos para que ele pudesse conhecê-lo melhor. O Senhor respondeu garantindo a Moisés que a Sua presença estaria com ele e que lhe daria descanso. O que Moisés realmente precisava naquele momento difícil de sua vida era da presença de DEUS, do descanso de DEUS. O mesmo acontece conosco. Por mais que desejemos conhecer os planos de DEUS para nós, o que precisamos mais do que tudo é da Sua presença, a qual nos dará descanso aonde quer que Ele nos envie e em qualquer tarefa que Ele nos entregue.

Deseje a vontade de DEUS mais do que a sua própria vontade. Quando as coisas não funcionarem como você planejou, permaneça em PAZ e confie em DEUS. Busque a Sua presença em todo o tempo.

(Fonte)

Vivendo a transformação interior

(Pregação do Padre Fábio de Melo)

O lema da minha ordenação sacerdotal é: “E a sorrir, pronunciaste meu nome”.

Quando a nossa mãe nos chama pelo nome composto é sinal de que a coisa não está boa, “o mar não está para peixe”. Toda palavra tem um invólucro, que é aquela emoção da voz. Tudo depende da maneira como o outro diz o seu nome ou como diz a frase.

Um dia escutei Jesus chamando meu nome assim: “Fábio, meu filho”. Sorrindo mesmo. Jesus é muito tranquilo quando nos chama, porque Ele sabe que se for dócil, aquele que é chamado vai ficar do jeito que Ele quer.

Deus nos chama pelo nome. Deus me chamou na minha infância simples, mas extremamente rica de poesias e significado. Deus usou das imagens que me atrairiam, não me chamou a partir de coisas de que eu não gostava. O Senhor é sábio. Num primeiro momento, Ele se utiliza de contextos dos nossos desejos, das alegrias que nos arrepiam a alma, depois que entramos no processo Ele vai com pedagogia nos dizendo que depois do “leite” tem que ter “alimento sólido”.

Quer ser grande? Passe pelo caminho da humilhação. A primeira vez que Deus o chama é uma história bonita, mas dura. Jesus, com um método pedagógico maravilhoso, faz com que os discípulos voltem à vida antiga. Depois do calvário, qual foi a primeira frase? “Vamos pescar.” Os olhos dos discípulos se abriram no contexto de uma vida antiga, mas inadequada.

A nossa verdade é o lugar onde Deus trabalha, onde Ele pode agir. Aos poucos vamos sendo chamados de outras formas, vamos sentindo que Deus vai chamando o nosso nome de outro jeito, e se correspondemos com o que Deus vai mudando dentro de nós, com certeza, ficaremos cada vez melhores, porque quando Deus faz, não faz porcaria.

O que você faz com a fragilidade que existe dentro de você? A proposta de Jesus para nós é violenta, por isso Ele disse que só vão entrar no Reino dos Céus os violentos.

A mesma voz que me chamou um dia, chama você também. A partir dos seus recursos, Deus vai transformá-lo em uma pessoa muito melhor do que você é.

Eu não sei quando foi que Jesus entrou na sua vida ou os recursos que Ele usou para chamar a sua atenção. Não sei se Jesus já entrou muito ou pouco na sua vida, mas de uma coisa eu tenho certeza: você já não é mais o mesmo, alguma coisa de muito divino já começou acontecer dentro de você.

Ninguém está garantido, nós estamos todos no mesmo processo para o coração ficar melhor. Às vezes, o reflexo do outro nos vai fazendo ser melhores, assim como há outros que nos fazem retroceder. Nós não queremos retroceder. Eu não sei o quanto Deus já entrou em você, mas uma coisa é certa: Ele está à porta do seu coração para fazer de você um homem novo, uma mulher nova.

(Fonte)