A verdadeira alegria

jesus

Hoje começa oficialmente o carnaval e lembrei desta frase:

“Nem todos os caminhos levam a Deus, mas Deus percorre todos os caminhos para nos levar até Ele”

Ela foi dita pelo padre Reginaldo Manzotti em um programa do Raul Gil e eu a gravei no coração.

Realmente, o mundo nos oferece vários caminhos e muitos deles nos afastam de Deus, mas sei que Ele sempre estará por perto nos esperando com seu infinito amor, independente das escolhas que iremos tomar.

Eu escolhi fazer um retiro de 5 dias neste carnaval. Mas não julgo quem vai pular e se divertir em bailes e festas, mas espero que lembrem que “tudo me é permitido, mas nem tudo convém” ( 1 Cor 6,12).

Para o mundo sou louca, não me importo. Sou louca de amor por Jesus! E estar com Ele e com pessoas que pensam como eu, para mim é a verdadeira alegria.

Já arrumei a mala, guardei a Bíblia e o terço e estou no aquecimento cantando umas músicas bem alegres que costumo cantar com as crianças da catequese…

Bora cantar juntos?

Eu tenho um barco que navega sobre o mar
e que Jesus é o capitão. (bis)
E os marinheiros que navegam ao seu lado
dizem ter lavado o seu pobre coração. (bis)
Jerusalém, que bonita és, ruas de ouro, mar de cristal. (bis)
Por estas ruas, estas ruas andarei, ruas de ouro, mar de cristal.(bis)

O nome de Jesus é doce, traz gozo, paz e alegria.
Cantando esta melodia, Jesus, Jesus, Jesus.
Subindo, Lá Lá iá, subindo, Lá Lá iá.
Subindo para o céu, eu vou.
Tristeza não vai comigo porque Jesus já me libertou.
Joguei a tristeza fora, em paz agora, contente estou.

Dê um sorriso só, sorriso aberto, sorriso certo, cheio de amor.(bis)
Quem tem Jesus gosta de cantar,
está sempre sorrindo mesmo quando não dá.
Tropeça aqui, oi, cai acolá,
mas depressa levanta e começa a cantar, (bis)

Senhor me queima com a brasa do altar. (bis)
Senhor estou aqui pode me queimar. (bis)
Eu vim aqui foi pra buscar poder. (bis)
Senhor estou aqui, quero receber. (bis)

Conta pra Jesus onde é a sua dor.
Ele é o remédio, confia no Senhor.
Não te desanimes, toma tua cruz,
do que tu precisas, conta pra Jesus.

Vem cá, vem ver. Vem cá, vem ver.
Jesus tá preparando uma benção pra você (bis)

O nome do doador é Jesus de Nazaré,
para receber a benção é somente pela fé. (bis)

Desde o Nascer ao Pôr-do-Sol seja louvado o nome do Senhor.
Desde o Nascer ao Pôr-do-Sol seja louvado o nome do Senhor Jesus.
Proclamai a todos os povos a salvação que Ele nos trouxe.
Rendei-lhe hinos de glória e louvor a Jesus Salvado…o … o… or.

Quem é esse povo? Que povo é esse?
Esse é o povo que vai morar no céu. (bis)
Vai morar, vai morar, vai morar, vai morar,
vai morar, vai morar lá no céu. (bis)

E que hoje… “Não haja tristeza, porque a alegria do Senhor será a vossa força.” (Ne 8,10)

5 remédios de São Tomás de Aquino para acabar com a tristeza

Todos nós já passamos pela experiência de dias tristes, nos quais é difícil superar aquele peso interior que contamina todo estado de ânimo e afeta as relações. Existe algum truque para superar o mau humor e recuperar o sorriso? São Tomás de Aquino propõe 5 remédios surpreendentemente eficazes contra a tristeza, confira:

Primeiro remédio: fazer algo prazeroso

Chocolate-Liesel Fuchs shutterstock-©

É como se o teólogo, há sete séculos, já tivesse intuído a ideia moderna de que o chocolate é um antidepressivo. Pode parecer uma visão materialista, mas é evidente que um dia cheio de amarguras pode acabar bem graças a uma cerveja, um bom filme ou um jantar com seu prato favorito, por exemplo.

Este não é um materialismo incompatível com o Evangelho: sabemos que o Senhor Jesus participou com prazer de refeições e banquetes, antes e depois da ressurreição, e aproveitou muitas coisas boas da vida.

Há também um salmo que afirma que o vinho alegra o coração do homem – mas é preciso lembrar que a Bíblia condena a embriaguez, claro!

Segundo remédio: chorar

Crying-Katya Shut shutterstock-©

Muitas vezes, um momento de melancolia pode ficar pior quando não conseguimos desabafar; é como se a tristeza se acumulasse dentro de nós, até tornar impossível fazer qualquer coisa.

O choro é uma linguagem, uma maneira de expressar e de desfazer o nó de uma dor que às vezes se torna sufocante. Jesus também chorou. E o Papa Francisco recorda que “certas realidades da vida só podem ser vistas com olhos limpos pelas lágrimas”.

Terceiro remédio: a compaixão dos amigos

shutterstock_81241990-Liliya Kulianionak-1440

Conversar com os amigos, desabafar com eles pode ser um grande alívio para quem passa por um momento de tristeza.

Quando a pessoa se sente um pouco triste e tende a ver tudo cinza, é muito eficaz fazer um gesto de abertura a algum amigo ou conhecido de confiança. Às vezes, basta uma mensagem ou uma ligação para contar ou escutar um amigo, e o panorama da vida fica mais claro.

Quarto remédio: contemplar a verdade

shutterstock_69211996-Sunny studio-1440

Trata-se do fulgor veritatis de que falava Santo Agostinho. Contemplar o esplendor das coisas, a natureza, uma obra de arte, escutar uma boa música, surpreender-se pela beleza de uma paisagem são coisas que podem servir como um eficaz bálsamo contra a tristeza.

Quinto remédio: tomar banho ou dormir

Sleeping-Tetyana Moshchenko shutterstock-©

É verdade! Pura sabedoria de São Tomás de Aquino. É profundamente cristão entender que, para remediar um mal espiritual, é útil buscar um alívio corporal também. Desde o momento em que Deus se fez Homem e assumiu um corpo, superou-se a separação entre matéria e espírito.

Um preconceito muito difundido, no entanto, é que a visão cristã do homem se baseia na oposição entre corpo e alma, segundo a qual o corpo seria visto como um peso ou um obstáculo para a “vida espiritual”.

Na verdade, o humanismo cristão considera que a pessoa (alma e corpo) é inteiramente “espiritualizada” quando busca a união com Deus. Como ensina São Paulo, existe um corpo animal e um corpo espiritual, e não morreremos, mas seremos transformados, porque é necessário que este corpo corruptível se revista de incorruptibilidade, e que este corpo mortal se revista de imortalidade.

“Que ninguém considere algo estranho aconselhar que se tome como guia um médico do corpo em uma doença espiritual”, afirma São Tomás Moro, assemelhando-se ao ensinamento de Tomás de Aquino:

Desde o momento em que corpo e alma estão unidos, a ponto de ambos formarem uma só pessoa, a distensão de um dos dois pode gerar a distensão de ambos. Por isso, assim como eu aconselharia a todos que, diante de uma doença do corpo, buscassem a confissão e um bom médico espiritual para a saúde da sua alma, também exorto a pedir, em certas doenças da alma, além do médico espiritual, o conselho do médico do corpo.

Também por meio desses 5 remédios se realiza a promessa humana e divina de Jesus: “Vocês ficarão tristes, mas sua tristeza se transformará em alegria”.

(Fonte)

Que posso fazer pela paz?

(Textos de São Josemaria Escrivá)

bandeiradapaz

Missão dos cristãos

O Senhor quer os seus filhos por todos os caminhos honestos da terra, lançando a semente da compreensão, do perdão, da convivência, da caridade, da paz. – O que é que tu fazes?

Tarefa do cristão: afogar o mal em abundância de bem. Nada de fazer campanhas negativas, nem de ser anti-nada. Pelo contrário: viver de afirmação, cheios de otimismo, com juventude, alegria e paz; olhar para todos com compreensão: os que seguem Cristo e os que O abandonam ou não O conhecem.

Compreensão, porém, não significa abstencionismo, nem indiferença, mas atividade.

A tua vida, o teu trabalho, não deve ser um labor negativo, não deve ser “anti-nada”. É – deve ser! – afirmação, otimismo, juventude, alegria e paz.

Quando te falo do “bom exemplo”, quero indicar-te também que hás-de compreender e desculpar, que hás-de encher o mundo de paz e de amor.

Esses… que veem adversários onde só há irmãos, negam com as obras a sua qualidade de cristãos.

Com a polêmica agressiva, que humilha, raramente se resolve uma questão. E, sem dúvida, nunca se consegue esclarecimento quando, entre os que disputam, há um fanático.

Com a graça de Deus

Característica evidente de um homem de Deus, de uma mulher de Deus, é a paz na alma: tem “a paz” e dá “a paz” às pessoas com quem convive.

Paz, verdade, unidade, justiça. Que difícil parece por vezes o trabalho de superar as barreiras, que impedem o convívio entre os homens! E contudo nós, os cristãos somos chamados a realizar esse grande milagre da fraternidade: conseguir, com a graça de Deus, que os homens se tratem cristãmente, levando uns as cargas dos outros, vivendo o mandamento do Amor, que é o vínculo da perfeição e o resumo da lei.

Em nome desse amor vitorioso de Cristo, nós, os cristãos, devemos lançar-nos por todos os caminhos da Terra, para sermos semeadores de paz e de alegria, com a nossa palavra e nossas obras. Temos de lutar – é uma luta de paz – contra o mal, contra a injustiça, contra o pecado, para proclamarmos assim que a atual condição humana não é a definitiva; o amor de Deus, manifestado no Coração de Cristo, conseguirá o glorioso triunfo espiritual dos homens.

Na Santa Missa, neste Domingo, na renovação incruenta do sacrifício cruento do Calvário, Jesus imolar-Se-á – Sacerdote e Vítima – pelos pecados dos homens. Não O deixemos só, que surja no nosso peito um desejo ardente de estar com Ele, ao pé da Cruz; que aumente o nosso clamor ao Pai, Deus misericordioso, para que volte a dar a paz ao mundo, a paz à Igreja, a paz às consciências! Se nos comportarmos assim, encontraremos – ao pé da Cruz – Maria Santíssima, Mãe de Deus e nossa Mãe. Pela sua mão bendita, chegaremos a Jesus e, por Ele, ao Pai, no Espírito Santo

Paz, paz!, dizes-me. – A paz é… para os homens de “boa” vontade.

Como hás-de ter paz, se te deixas arrastar – contra os “empurrões” da graça – por essas paixões que nem sequer procuras dominar?

O Céu puxa para cima; tu (e só tu; não procures desculpas!) para baixo… E desse modo te dilaceras.

Comover o coração de Cristo

Recordai a cena que nos conta S. Lucas, quando Cristo andava nos arredores da cidade de Naim. Jesus vê a angústia daquelas pessoas, com quem Se cruzou ocasionalmente. Podia ter passado de lado, ou ter esperado que O chamassem e Lhe fizessem um pedido. Mas não Se afasta, nem fica na expectativa. Toma ele próprio a iniciativa, movido pela aflição de uma viúva que perdera a única coisa que lhe restava – o filho. (…)
Mas o Senhor não atua com artificialismo, só para praticar um “feito”: sente-Se singelamente afetado pelo sofrimento daquela mulher; não pode deixar de a consolar. Então, aproximou-Se e disse-lhe: não chores. Que é como se lhe dissesse: não te quero ver desfeita em lágrimas, pois Eu vim trazer à Terra a alegria e a paz. E imediatamente se dá o milagre, manifestação do poder de Cristo, Deus. Mas antes já se dera a comoção da sua alma, manifestação evidente da ternura do coração de Cristo, Homem.

Um cristão que viva unido ao Coração de Jesus não pode ter outros objetivos senão estes: a paz na sociedade, a paz na Igreja, a paz na própria alma, a paz de Deus, que se consumará quando vier a nós o seu Reino.

Assim como Cristo passou fazendo o bem , por todos os caminhos da Palestina, assim vós ireis por todos os caminhos humanos – da família, da sociedade civil, das relações profissionais de cada dia – semeando paz.

O violento perde sempre, mesmo que ganhe a primeira batalha, porque acaba por se ver cercado pelo isolamento da sua incompreensão.

(Fonte)

“Bem-aventurados os que trabalham pela paz, porque serão chamados filhos de Deus!” (Mt 5, 1-12)