Padrinhos são bússola

Eu estou muito feliz por ter sido convidada para ser madrinha da minha sobrinha que vai nascer em dezembro, por isso pesquisei sobre este tema, importante para a Catequese da Iniciação Cristã que começa justamente com o Batismo.

“Os padrinhos e madrinhas, e notadamente todos os seculares que prestam o seu auxílio à hierarquia eclesiástica na dilatação do reino de Cristo, ocupam um posto honorífico, embora muitas vezes humilde, na sociedade cristã, e podem muito bem sob a inspiração e com o favor de Deus subir aos vértices da santidade, que por promessa de Jesus Cristo nunca faltará na Igreja.”

(CARTA ENCÍCLICA MYSTICI CORPORIS – PAPA PIO XII)

batismo

Ser convidado para ser padrinho ou madrinha de um bebê é uma honra, e, como todo grande privilégio, esse também revela uma grande responsabilidade.

Padrinhos terão uma influência muito grande na vida da criança, por esse motivo, os pais devem escolher alguém que desfrute das mesmas crenças, fé e valores que eles mesmos defendem.

É dever dos padrinhos auxiliar no cuidado e no crescimento dos afilhados, sendo muito mais importante isso do que presentear com bons brinquedos, mas permanecer ausente ou silencioso no tocante à criança.

Um casal de padrinhos é, por definição, outros pais, o que significa que uma criança pode contar com mais esse casal para sua orientação, apoio e bem-estar.

É uma função tão importante que, através da escolha, os pais afirmam a ideia que, na ausência deles, confiam plenamente nesse outro casal para cuidar de seu filho.

Como auxiliadores dos pais, os padrinhos devem incentivar a prática saudável da religião que partilham, assim como obedecer aos limites impostos pela função, sem ultrapassar as demarcações que dizem respeito somente aos pais.

Geralmente, a escolha recai sobre pessoas a quem os pais admiram e gostariam que seus filhos tivessem como espelho.

Uma bússola indica sempre, a direção certeira, assim como os padrinhos que, com dedicação e exemplo de vida, apresentam o caminho correto aos seus afilhados!

Teatrinho – Dia das Crianças

nossa-senhora-aparecida-e-as-criancas

Personagens: Mãe, catequista, narradora e crianças.

(Sugestão: ser interpretado pelos catequistas)

– Narradora: Era uma vez 4 crianças que estavam esperando ansiosamente pelo seus presentes, pois era o Dia das Crianças. Foram para a catequese muito contentes…
– Catequista: Olá crianças, tudo bem? Vamos aprender um pouco mais sobre a grande data que comemoramos hoje. Alguém sabe qual é?
– Criança 1: Ah, essa é fácil, hoje é dia das crianças.
– Catequista: Sim, mas eu estou falando de outra comemoração…
– Criança 2: meu pai me disse que hoje também é comemorado o descobrimento da América.
– Catequista: Ainda não é isso o que eu quero…
– Criança 3: fala logo Tia, porque tipo assim, eu tô muito curiosa…
– Catequista:Hoje também é comemorado o dia de Nossa Senhora Aparecida! Padroeira do Brasil!
– Criança 4: dãã..Eu sabia essa aí..
– Catequista: A imagem de Nossa Senhora Aparecida foi encontrada no Rio Paraíba, em 1717, pelos pescadores Domingos Garcia, Felipe Pedroso e João Alves. Eles subiam o rio e lançavam as redes sem muito sucesso próximo ao porto de Itaguaçu, até que recolheram o corpo da imagem. Na segunda tentativa, trouxeram a cabeça e, a partir desse momento, os peixes pareciam brotar ao redor do barco.
– Crianças: uuaauuuuhh!!!!
– Catequista: Durante 15 anos, Pedroso ficou com a imagem em sua casa. Em 1735, o vigário de Guaratinguetá construiu uma capela no alto do Morro dos Coqueiros. Em 1834 iniciou-se a construção da Basílica velha. No ano de 1929, o papa Pio XI proclamava a santa como Rainha do Brasil e sua padroeira oficial. Em 1955 teve inicio a construção da Basilica nova.
– Criança 1: Eu já fui lá! É muito legal!
– Criança 2: Tia, o dia das crianças tem relação com esse dia ai?
– Catequista: Na verdade não.
– Criança 3: Mas…Tipo assim, como surgiu então o dia das crianças?
– Catequista: O dia das crianças surgiu assim:
Na década de 1920, o deputado federal Galdino do Valle Filho teve a ideia de criar um dia em homenagem as crianças. Os deputados aprovaram e o dia 12 de outubro foi oficializado como Dia das Crianças pelo presidente Arthur Bernardes, por meio do decreto nº4867, de 5 de novembro de 1924.
Mas somente em 1960 é que a data passou a ser comemorada.
– Criança 4: em todos os países comemora-se o dia das crianças nesta data?
– Catequista: Bom, eu conheço apenas algumas datas: na Índia é comemorado em 15 de novembro, em Portugal e Moçambique é dia 1º de junho e na China e no Japão é comemorado dia 5 de maio
Ah, e não podemos esquecer que Jesus também foi criança.
– Criança 1: Foi?
– Catequista: Aham. Lá na Palestina as crianças brincavam de pique-esconde, de correr atrás do outro, de imitar o mestre, de faz de conta e de tantas outras coisas. Por isso devemos nos lembrar que Dia das Crianças é muito mais que presente, é sim muita diversão!
– Narradora: A catequese se encerra, as crianças saem felizes, pois aprenderam muitas coisas interessantes…Quando voltam para suas casas, correm para contar para as suas mães o que aprenderam hoje…
– Criança: Mãe, mãe, mãe…
– Mãe: nossa que animação é essa?
– Criança: a catequese hoje foi massa!
– Mãe: Ah é? Que legal!
– Criança: Aham. Aprendi sobre Nossa Senhora Aparecida e muito mais!
– Mãe: Que bom! Mas me responde uma coisa: o que você quer ganhar nesse dia tão especial?
– Criança: Mãe, na verdade, eu não quero brinquedo não. Eu quero é muita diversão!
Por isso quero todo mundo dançando comigo bem feliz!

(personagens se espalham pela Igreja e dançam com o povo)

(sugestão de música)
CRIANÇA FELIZ
Criança feliz,
feliz a cantar.
Alegre a embalar
seu sonho infantil.

Oh! Meu bom Jesus,
que a todos conduz.
Olhai as crianças.
Do nosso Brasil.

Crianças com alegria.
Qual um bando de andorinhas.
Viram Jesus que dizia.
Vinde a mim as criancinhas.

Hoje no céu um aceno.
Os anjos dizem amém.
Porque Jesus nazareno.
Foi criancinha também.

Elaborado por Caroline Moreira
Comunidade Nossa Senhora da Candelária.
Araraquara/SP

(Fonte)