Catequese na Quarentena

Muitas crianças estão se adaptando aos meios de ensino à distância e nós podemos aproveitar este momento para preparar um encontro catequético à distância também.

Reconheço que nem todos os catequistas têm acesso às tecnologias e também muitas crianças sequer possuem um computador ou celular para acessar os conteúdos disponíveis, mas podemos usar nossa criatividade e os dons que temos para levar aos nossos catequisandos uma mensagem de fé e esperança de que Deus está conosco e que podemos confiar em sua palavra.

“Nada temas, porque estou contigo, não lances olhares desesperados, pois eu sou teu Deus; eu te fortaleço e venho em teu socorro, eu te amparo com minha destra vitoriosa.” (Isaías 41,10)

Um recurso simples e muito utilizado na catequese é contar histórias bíblicas e colorir desenhos, trazendo o tema para a nossa realidade, seguem algumas sugestões:

Pentecostes

No domingo passado tivemos a solenidade de Pentecostes, podemos comentar com as crianças de que os apóstolos e Nossa Senhora também estavam com medo, tristes e em isolamento, como nós agora. Mas estavam unidos e rezando. E o Espírito Santo veio ao encontro deles e os deu forças para seguirem adiante, dando início à nossa Igreja. Nós também podemos suplicar ao Espírito Santo que nos dê forças para superar este momento difícil que o mundo está passando. Nós somos Igreja!

Santíssima Trindade

No próximo domingo celebraremos a Santíssima Trindade, Pai, Filho e Espírito Santo. Um só Deus em três pessoas. Para mim um dos encontros mais difíceis de explicar na catequese.

E este será o próximo tema da postagem do Carlos Francisco no nosso estudo sobre o Credo, não percam…

Mas que tal gravar um vídeo, com uma dinâmica e mandar para as crianças?

(Recomendo a dos estados fisicos da água postada aqui.)

O terço

Sei que o mês de maio é o mais apropriado para falarmos sobre a oração do terço na catequese, mas Nossa Senhora em suas aparições nos pede para rezarmos o terço todos os dias, principalmente pedindo pelo fim da guerra e pela paz no mundo. E o momento que a humanidade está passando é justamente este, estamos vivendo em uma guerra, contra um vírus destruidor, contra o racismo, contra a violência e tantas outras coisas que nos tiram a paz. Podemos e devemos reforçar na catequese esta devoção à oração do terço, pois é uma poderosa arma contra tudo que nos afasta de Deus.

Nossa Senhora, rogai por nós que recorremos a vós!

Oração do Santo Anjo

E por hoje deixo aqui um tema simples, mas não menos importante, a oração pedindo a intercessão do nosso Anjo da Guarda. Este nosso amigo invisível, mas muito real. Assim como o coronavirus e muitas outras forças invisíveis que nós cristãos temos que combater diariamente. Vamos rezar todos os dias, ao acordar, quando tivermos que sair, antes de dormir, pois nosso querido Anjo da Guarda está sempre atento para nos guardar de todo mal, amém?

Beijinhos da Catequista Sheila 😇❤️

O Catequista e a Palavra

(Vandeia Ramos)

CYMERA_20190929_141434
O Evangelho de hoje nos perturba e o alcance não é simples. Se pararmos para agradecer, vamos nos perceber como o rico, que tanto tinha. No nosso caso, o que temos é dom recebido por Deus. Recebemos a missão de anunciar a Palavra, de evangelizar. Somos responsáveis por catecúmenos e muito do que os cerca. Existe uma linha tênue neste privilégio, entre o serviço e o orgulho, entre reconhecer-se como servo inútil e possuidor do Reino, entre ser o administrador fiel e achar que o céu já é garantido, confundindo valores.
Na confusão em que facilmente caímos pelo orgulho, consideramos que o rico ainda tenha algo de bom ao se preocupar com os irmãos. Então, parece que seu lugar eterno quase chega a ser injusto, causando-nos certo desconforto.
No livro O Diálogo, de Santa Catarina de Siena, em sua relação mística com o Pai, ela pergunta sobre. A resposta surpreende: caso algum irmão vá para o inferno devido ao descaminho ensinado pelo rico, ele seria o responsável e responderia também. Do mesmo modo que nossos catecúmenos podem se tornar pessoas melhores pelo ensinamento da Palavra através de nossa mediação e, portanto, participamos mesmo que indiretamente de sua bondade, o que desencaminha também responderá.
Também podemos reportar sobre Jesus que, mesmo Ressuscitado, não é o suficiente para a fé de muitos. O Senhor, na cruz, diz que “tudo está consumado”. Tudo Ele fez, tudo Ele deu, até a Si mesmo. Mas, para muitas pessoas, não é o suficiente. O livre arbítrio que permite que não escolhamos a Deus é um mistério.
Aqui precisamos tomar muito cuidado para que não consideremos que somos mais que outros porque estamos a mais tempo na caminhada, porque tivemos mais oportunidades de crescer espiritualmente, de achar que o céu nos está garantido e podemos relaxar e só esperar a hora, desperdiçando os bens que nos foram confiados.
Para que ir à missa? Para que se confessar periodicamente? Para que buscar aprofundar o que sabe? Para que se preocupar com a própria santidade? Para que servir na comunidade? Para que pensarmos em missão no mundo através de uma profissão pelo bem comum, se o salário e as condições não for o que achamos que merecemos? Entre servir o mundo e se servir do que o mundo tem a oferecer é uma linha estreita, que nos apresenta se consideramos os demais realmente como irmãos ou como pessoas que disputam benefícios conosco.
Irmãos catequistas, precisamos guardar nossa missão, não como dom que colocamos de lado, e sim com integridade do melhor serviço que podemos fazer, dando-nos a nós mesmo na catequese, no estudo, nas orações, na preparação pessoal, na vida de fé, no exercício profissional em prol do bem comum, “para que eu trabalhe e o outro descanse”.
Além de termos a memória de Sâo Jerônimo, que teve a missão de traduzir a bíblia para o latim possibilitando o maior acesso à Palavra de Deus, também celebramos os arcanjos Miguel, Rafael e Gabriel. Na hierarquia de serviço que nos apresentam, em que “maior é o que serve”, sabemos que vamos ao que nos é apresentado acompanhados. “Quem como Deus”, “Deus cura” e “fortaleza de Deus” nos lembram que temos tudo o que precisamos: a graça.
Com os anjos e santos, podemos viver no serviço à Palavra através da catequese e de toda nossa vida, confiando que somos tão cuidados que podemos também cuidar uns dos outros, com atenção especial aos que mais precisam. É este amor que nos sustenta e nos guia que anunciamos, a Palavra que se encarna no mundo através de nós.
É o modo que Deus escolheu para que recebamos sua graça, através do anúncio Dele em nossa vida, no testemunho cotidiano. Através de cada um de nós, o Reino está no mundo, em nós. Bendigamos todos juntos a este Deus que nos escolheu para se tornar presente na humanidade.

Quando recebemos o nosso anjo da guarda?

(Carlos Francisco Bonard)

anjo da guarda

A existência dos anjos é verdade de fé da igreja. A Igreja nos diz, no Catecismo, n° 328, que “A existência dos seres espirituais, não-corporais, que Sagrada Escritura chama habitualmente de anjos, é uma verdade de fé. O testemunho da Escritura a respeito é tão claro quanto a unanimidade da Tradição”.

A Igreja também atesta de várias formas a existência do anjo da guarda. Também no Catecismo, no no 336 nos é dito que “Desde o início até a morte, a vida humana é cercada porsua proteção e por sua intercessão. “Cada fiel é ladeado por um anjo como protetor e pastor para conduzi-lo à vida. ”“Ainda aqui na terra, a vida cristã participa na fé da sociedade bem-aventurada dos anjos e dos homens, unidos em Deus”.”

Isso quer dizer que nossos anjos da guarda nos são dados já no nascimento, ou, como diz o Catecismo, desde o inicio até a morte.

Jesus, em um dos seus discursos, disse “Guardai-vos de menosprezar um só destes pequenos, porque eu vos digo que seus anjos no céu contemplam sem cessar a face de meu Pai que está nos céus” (Mateus 18, 9).

Vemos então que os pequeninos, já as crianças, tem seus anjos. Mas, devemos prestar atenção quando o catecismo diz que cada fiel é ladeado por um anjo como protetor para conduzi-lo a vida.

Qual a função do anjo da guarda?

Santo Agostinho nos lembra que os anjos são enviados “para o bem daqueles que devem herdar a salvação” (Hebreus 1, 14).

Pois bem, nós herdamos a salvação, de fato, com o batismo. O batismo nos faz nova criatura, purificados do pecado original e de todos os outros. É o batismo que nos faz filhos adotivos de Deus, participantes da natureza divina, membros [do corpo] de Cristo e co-herdeiros com ele.

Por fim, nos faz templo do Espirito Santo (CIC 1265).

Logo, a delegação do anjo se dá com o batismo, pois cabe a ele, como protetor e pastor conduzi-lo a vida.

São Basílio Magno (†369), doutor da Igreja, disse: “Cada fiel é ladeado por um anjo como protetor e pastor para conduzi-lo à vida” (Ad. Eunomium 3,1).

Que vida seria essa se não a vida eterna? Logo, de fato, a missão dos anjos e nos guardar na fé, e no ensinamento da doutrina. Os recém nascidos ainda não tem este conhecimento, logo, a estes não é delegado anjos da guarda conforme Santo Agostinho.

Mas então os recém nascidos, e mesmo os batizados não tem anjos da guarda?

Sim, eles tem.

Então, afinal, quando se recebe o anjo da guarda?

De fato, Santo agostinho nos ensina que “os anjos são enviados a serviço, eficazmente, só para aqueles que recebem a salvação como herança se considerarmos o último efeito de sua guarda, que é o recebimento da herança. Todavia, aos demais homens não é negado o serviço dos anjos, embora não seja eficaz em conduzi-los à salvação”.

A ação dos anjos é eficaz na medida em que guarda os não batizados (e aí entram os recém nascidos) de muitos males.

A guarda dos anjos tem como efeito último e principal a iluminação doutrinal. Todavia, tem muitos outros efeitos que interessam às crianças, como afastar demônios e evitar outros danos tanto espirituais como corporais.

Então, a missão do anjo da guarda se dá de forma plena após o batismo, em que pese ele nos proteger desde que nascemos.

Novena dos Arcanjos

(Pe. Reginaldo Manzotti)

zz_arcanjos

Oração para todos os dias:
Arcanjo Gabriel portador das boas-novas, das mudanças, da sabedoria e da inteligência;
Arcanjo da Anunciação trazei a Palavra de Deus e que Ela permaneça em meu pensar e agir.
Fazei com que eu também seja um mensageiro dos preceitos do Senhor por palavras de bondade e solidariedade.
Arcanjo da Anunciação, vinde em meu auxílio.

Arcanjo Rafael guardião da saúde e da cura, peço que os raios curativos desçam sobre mim, dando-me saúde e cura dos males do corpo e da alma.
Guardai meu corpo e minha mente livrando-me de todas as doenças.
Que Vosso raio curativo esteja em meu lar, sobre meus filhos e familiares e no trabalho que executo, com as pessoas com quem convivo diariamente.
Arcanjo Rafael transformai a minha alma e o meu ser para que eu possa sempre refletir a Vossa Luz.
Arcanjo Rafael, curai nossas enfermidades.

Arcanjo Miguel príncipe guardião e guerreiro, defendei-me com Vossa espada e protegei-me com Vosso escudo. Não permita que o mal me atinja.
Protegei-me contra assaltos, roubos, acidentes e contra quaisquer atos de violência.
Livrai-me de pessoas negativas e invejosas.
Levante o Vosso escudo de proteção em meu lar e sobre minha família, parentes e amigos.
Guardai meu trabalho, meus negócios e meus bens.
Arcanjo Miguel, trazei a paz e a libertação.
Arcanjo Miguel, defendei-me no combate.

Arcanjos de Deus, venham em meu auxílio.
Arcanjos do Senhor, venham em meu socorro.

Amém

Os Anjos de Deus

zz_arcanjos

Os Anjos de Deus, agrupados em Coros:

1) Querubins, Serafins e Tronos: possuem a “plenitude de sabedoria e da ciência”. É seu privilégio ver a verdade de um modo superior. Estão muito unidos a Deus. Estão diante do trono de Deus.

2) Dominações, Potestades e Virtudes: Executam a vontade de Deus, as grandes ações que tocam no governo do mundo e da Igreja, afastam os anjos maus…

3) Principados, Arcanjos e Anjos: São enviados por Deus em missões grande importância junto aos homens. São mais conhecidos por nós, os Arcanjos São Miguel, São Gabriel e São Rafael.

São Miguel expulsou do Paraíso os anjos maus, os demônios.

São Gabriel anunciou a Nossa Senhora, o nascimento de Jesus, a São Zacarias, – o nascimento de João Batista. E a São José, apareceu em sonhos para anunciar a concepção divina de Maria, para recomendar a fuga para o Egito e o retorno daquele país, após a morte de Herodes.

São Rafael teve a missão de cura, junto ao jovem Tobias. Deus envia seus Anjos e Arcanjos para cuidar de você e curar suas enfermidades.

REZEMOS:

Ó Arcanjo São Miguel, Príncipe da Milícia celeste, Guardião e Guerreiro defendei-nos e protegei-nos contra as ciladas do demônio. Defendei-nos dos assaltos, roubos, acidentes e atos de violência. Livrai-nos de pessoas negativas! Que nenhum mal nos atinja!

Ó Arcanjo São Gabriel, Fiel mensageiro de Deus, abri nossos ouvidos aos toques da graça. Permanecei conosco, para que compreendamos a Palavra de Deus, sigamos suas inspirações e cumpramos o que Deus quer de nós. Arcanjo da Anunciação, fazei com que também nós sejamos mensageiros do bem!

Ó Arcanjo São Rafael, Guardião da saúde e da cura, chamado Medicina de Deus, afastai para longe de nós as doenças do corpo, da alma e do espírito. Trazei-nos saúde e a plenitude de vida prometida por Nosso Senhor Jesus Cristo. Livrai-nos de todas as doenças.

Que assim seja!

Que os Arcanjos estejam conosco, em casa, no trabalho, nos hospitais, nas ruas, nas estradas, defendendo-nos dos perigos!

(Enviado por Ir. Zuleides Andrade, ASCJ)

Hoje é dia dos Santos Anjos da Guarda

RAAAAL6N_EG4TSviVRH2jlCw82viej_BOLPaVExtijh4PwR12wAzXU8NzuwsAE-MrA1G6ABVDJd9OfBQkEW1Ly9xsocij-39LbZc0xaaCX4zbGkyAJtU9VCh5fqSZvdvSeb6L7eostg54DXERw

É uma consoladora verdade de fé que desde a infância até a morte nossa vida seja circundada pela proteção dos anjos e por sua intercessão, pois que lê-se no Catecismo da Igreja Católica “Cada fiel é ladeado por um anjo como protetor e pastor para conduzi-lo à vida. Ainda aqui na terra, a vida cristã participa na fé da sociedade bem-aventurada dos anjos e dos homens, unidos em Deus”.

A existência desses seres espirituais, não corporais, chamados anjos, tem a seu favor o claro testemunho das Sagradas Escrituras e a unanimidade da Tradição. “O anjo de Iahweh acampa ao redor dos que o temem, e os liberta”.(Sl 34,8). Os anjos são mensageiros da salvação: “porventura não são todos eles espíritos servidores, enviados ao serviço dos que devem herdar a salvação?”, lê-se na carta aos Hebreus (1,14).

Fundando esta verdade de fé na própria afirmação de Jesus, a Igreja nos diz que cada cristão, desde o momento do batismo, é confiado a um anjo particular, que tem a missão de guardá-lo, guiá-lo no caminho do bem, inspirar-lhe bons sentimentos, secundar suas livres escolhas quando estas o encaminham a Deus, ou fazer-lhe perceber a censura interior da consciência quando elas conduzem à transgressão da lei divina.

A estas invisíveis testemunhas de nossos pensamentos mais recônditos e inconfessáveis, de nossas ações boas ou não tão boas, públicas ou escondidas, nossa época voltou a dar particular atenção. Seu precioso “serviço” é testemunhado na vida de muitos santos de nosso tempo. “Os anjos” — escreve Bossuet, —”oferecem a Deus as nossas esmolas, recolhem até nossos desejos, fazem valer diante de Deus também nossos pensamentos. Sejamos felizes por ter amigos assim pressurosos, intercessores fiéis, intérpretes caridosos”.

A festividade deste dia foi estendida à Igreja universal por Paulo V, em 1608, mas já no século antes era celebrada à parte da de São Miguel.

(Fonte)