Como conquistar o respeito

bullyng

Muitos adultos acham difícil suportar o desprezo e o desdém de outros adultos, mas para um adolescente é duas vezes mais difícil suportar o desprezo e o desdém de seus companheiros da mesma idade.

Um dia, quando Leo Buscaglia estava saindo da escola, uma gangue de arruaceiros o cercou e começou a crivá-lo de apelidos por causa de sua ascendência italiana. Humilhado e aos prantos, rompeu o círculo de seus atormentadores e correu para casa. Lá, trancou-se no banheiro e chorou amargamente.

Seu pai o ouviu chorando e perguntou qual era o problema. Quando Leo contou o que havia acontecido, esperou que seu pai tomasse imediatas providências – ou que batesse nos desordeiros ou pelo menos reclamasse com os pais deles, exigindo que fossem castigados. Seu pai não fez nem uma coisa, nem outra. Em vez disso, começou a mencionar algumas coisas acerca dos italianos, das quais Leo podia orgulhar-se.

Mas isso não acalmou o garoto.

– Eu não gosto de ser diferente! – protestou ele. – Quero ser como todos os outros.

– Como todos os outros? Você quer dizer que gostaria de ser como aqueles garotos que o insultaram? – perguntou o pai, articulando bem as palavras.

– Não! – rosnou Leo em resposta.

– Então tenha orgulho daquilo que você é – aconselhou o pai. – Afinal de contas, todo mundo é diferente de todas as demais pessoas.

Mas o conselho de Paulo ao jovem Timóteo foi além do conselho que o pai de Leo deu a seu filho. Sendo um modelo de cristão, podemos conquistar o respeito alheio:

“Ninguém te despreze por seres jovem. Ao contrário, torna-te modelo para os fiéis, no modo de falar e de viver, na caridade, na fé, na castidade.”. (I Tim 4,12).

(Fonte)

Anúncios

De Pai para Filho

Um amigo me emprestou este livro para tentar me ajudar a lidar com meu filho e copiei alguns trechos para vocês, aproveitando o dia dos pais e a semana das famílias:

“Lembre-se com frequência de que seu filho é capaz de mudar o mundo”

Meninos não vêm com manual de instruções.

Na difícil arte de criá-los, é preciso estar atento aos detalhes mais sutis da construção de sua personalidade e demonstrar em cada gesto o amor ilimitado que eles merecem receber.

A jornada até os filhos se tornarem homens começa muito cedo, quando pela primeira vez olham para seus pais e pensam: “quero ser como ele”

AS CINCO CHAVES

1 – Esteja por perto

2 – Seja seu pai, não seu amigo. Se você não entende a diferença, imagine a confusão que ele sente quando você é obrigado a dar-lhe uma bronca ou botá-lo de castigo.

3 – Seja um bom marido. Mostre respeito pela mãe dele o tempo todo.

4 – Esteja em casa na hora do jantar.

5 – Seja o seu herói.

PARA MENINO PEQUENO:

– Ensine-o a guardar segredo.

– Leia para ele à noite. Ele vai adorar.

– Incentive nele o prazer de aprender.

– Ponha os trabalhos de arte dele no escritório. Inclusive aquele cinzeiro esquisito.

– Tome café da manhã com ele.

– Ensine-o a devolver o que pediu emprestado.

– Diga a ele que nem sempre você tem razão.

– Atribua-lhe responsabilidades.

– Elogie-o com frequência.

– Incentive-o a andar descalço.

– Ensine a ele que toda vida é preciosa.

– Ensine-o a dividir.

– Não compre as brigas dele.

– Mesmo podendo, não compre tudo o que ele quer.

– Ensine-o a nunca ter medo de experimentar coisas novas.

SOBRE ESPIRITUALIDADE:

– A sua primeira obrigação como pai é cuidar do bem-estar espiritual do seu filho.

– Mostre a ele a diferença entre ser solitário e estar sozinho.

– Ensine a ele que o sucesso diante da adversidade é o maior de todos os sucessos.

– Se você não consegue falar de Deus com seu fiho, é porque nunca falou realmente com ele.

– Reze em família, depois ensine-o a rezar sozinho.

– Quando ele estiver diante de um problema sério, incentive-o a pedir a ajuda a Deus para resolvê-lo.

Ensine a ele:

– que Deus responde a todas as preces. Às vezes com um não.

– a rezar por seus inimigos.

– que se pode confiar em Deus.

– a acreditar que o que ele der ao mundo o mundo lhe dará de volta.

– a dar sem esperar reconhecimento.

– que todos os dias são sagrados.

– a meditar.

– que perdoar não é fraqueza, mas o cúmulo do egoísmo, porque faz a gente se sentir muito melhor.

PARA MENINO GRANDINHO:

– Ensine-o a estabelecer objetivos. Comece com coisas simples.

– Ensine-o a lavar, passar e dobrar a própria roupa.

– Deixe-o conquistar o seu respeito.

– Conversem sobre os sonhos dele. E sobre os seus.

– Deixe-o fracassar.

– Ensine a ele que se pode aprender tanto com o fracasso quanto com o sucesso.

– Lembre-se: ele observa a maneira como você trata o seu próprio pai.

– Abrace-o toda noite antes de ele ir dormir. Mesmo depois que ele fizer 18 anos.

– Diga-lhe com frequência que você o ama.

– Faça-o assumir as suas responsabilidades.

– Ensine-o a canalizar a raiva.

– Ensine a ele que a única forma de vencer o medo é enfrentá-lo.

– Seja bom em qualquer circunstância.

– Não o critique na frente dos amigos.

– Durante o jantar, converse sobre política, ciência, religião e as coisas que fez na escola hoje.

– Eduque-o para não permitir álcool nem drogas em suas festas e a recusá-los quando oferecidos nas festas dos outros. Diga a ele que isso não quer dier que ele é um panaca. Quer dizer apenas que ele é inteligente.

– Ensine-o a olhar as pessoas nos olhos e a cumprimentá-las com firmeza.

– Ensine a ele que nada que ele tenha feito ou venha a fazer justfica mentir para você.

– Faça-o saber que você espera dele o melhor.

– Prometa-lhe que você estará por perto sempre que ele precisar.

Ensine-o:

– a dar valor aos amigos.

– a pedir ajuda.

– a ler mapas.

– a ser bom.

– a querer o céu.

“Diga-lhe para nunca desistir. E… deixe-o ir”

(Trechos do livro “De Pai para Filho”, de Harry H. Harrison, Jr.)

EU QUERO A MINHA MÃE!

Carol e sua mãe estavam discutindo. Carol tinha 12 anos e queria levar uma vida parecida com a das colegas da escola.
– Mas mãe! A senhora é muito exigente! Eu queria ser como as minhas colegas. Elas saem, vão ao shopping sozinhas, passeiam e voltam tarde! E eu já tenho 12 anos!
-Olha filhinha, você ainda é muito pequena, e se as suas amigas fazem essas coisas, fique sabendo que enquanto você for menor de idade e morar debaixo do meu teto, quem manda aqui, sou eu e o seu pai!
– Isso não é justo! Você só quer que eu faça o que você quer. E eu sou uma filha tão boazinha!
– Boazinha? A sua professora falou que você não está nada bem em Matemática e Ciências. Quando lhe peço para lavar a louça você não obedece. Quando peço para você desligar a TV e dormir você fica resmungando quase uma hora. Você deve obedecer, não somente quando você quer, quando lhe é conveniente, porque isso não é obediência.
Carol pegou uma revista e se sentou muito contrariada; folheando-a disse para sua mãe:
– Ok, você esta certa, assim como você, eu não sou perfeita…
– Sabe de uma coisa Carol? É melhor ir trabalhar porque já estou atrasada, gostaria muito que você refletisse no que nós conversamos, você é uma filha de Deus que ama Jesus, e isso faz de você uma adolescente diferente, né?
Bem! filha, a louça precisa ser lavada e você tem que limpar o banheiro. E não abra a porta para estranhos, ok?

A mãe deu um beijo na filha e saiu para o trabalho. Carol ficou chateada, pegou a revista e sentou falando:
– Eu não vou fazer nada, pareço a doméstica do lar! Como desejo ter outra mãe!!!! Não agüento mais esta vida!
De repente surgiu uma voz e disse: Desejo concedido!
Carol ficou apavorada, pulou da cadeira e perguntou com muito medo:
– Quem esta falando?
– Sou eu, a cumpridora de desejos de crianças. Quando vejo alguma criança aflita venho socorrê-la! Você não pode me ver, mas, eu posso cumprir os seus desejos.
– Não é possível! Devo estar ficando doente!
– Menina, deixe de perder tempo e faça o seu pedido. Você parecia tão desesperada que vim sem vacilar. Parece-me que ouvi algo sobre trocar de mãe?
– Sim, na verdade é isso mesmo, mas primeiro quero deixar algo bem claro: Eu não sou uma criança, já sou juvenil!
-Tudo bem! O que você quer?
-Hummmm!!! Bom. Sim! eu quero trocar de mãe. Quero uma mãe legal, e moderna, que seja condescendente comigo. Quero que ela me deixe fazer tudo o que eu quero, que tenha muito dinheiro e me compre tudo o que eu gosto.
– Tudo bem, que aceite você fazer tudo que quiser e comprar o que você gosta. Desejo concedido!

Nesse momento entrou uma mamãe muito moderna e bonita. Carol mal podia acreditar no que via, então decidiu testar a nova mãe!
– Mamãe…
– Menina, não me chame assim! Você não está vendo que gastei muito dinheiro em cirurgias plásticas e lipos para me tornar mais jovem e não quero que as pessoas saibam que já tenho uma filha tão velha. Cruzes! Eu sou jovem demais pra ser mãe!
– Perdoa-me, é que eu queria pedir licença para sair com as minhas amigas; a gente vai ao shopping; e preciso de dinheiro para comprar roupas e…
-Deixa-me ver…, sim. Está aqui. toma. É um cartão de crédito, pode gastar o tanto que você quiser.
– Ah!! queria terminar de contar sobre aquela menina da escola que sempre quer brigar comigo…
Tocou o celular da mãe…
– Menina eu já dei o que você queria…, não tenho tempo pra ouvi-la. Ligaram-me do salão e tenho que ir para não perder a hora. Bye!!
Carol ficou arrasada.
– Essa não é a mãe que eu queria! Senhora cumpridora de desejos!! Socorrooooo!! Não quero essa mãe!!
-Menina – disse a voz – não grite desse jeito! O que aconteceu? Não gostou da sua nova mãe?
– Você deu uma exagerada né? Pedi uma mãe complacente. Mas, essa aí, não estava nem ai pra mim! Só queria saber de salão, unhas, plásticas, cabelos… Socorro! Quando tentei falar de um problema, ela não deu a mínima para mim.
– Então o que você quer?
– Eu queria uma mãe que fosse boa, que me desse muito carinho e me escutasse.
– Você tem certeza disso?
– Certeza!
Desejo concedido!

Entrou a nova mãe, e com um abraço apertado a cumprimentou, e a encheu de beijos e de palavras agradáveis.
– Carol, filhinha do meu coração, pedaço da minha vida, quanta saudade senti de você! – e a abraçou – Como você está minha vida? Conte-me como foi o seu dia na escola! Não se esqueça de nenhum detalhe, eu sou toda ouvidos! Fale minha linda!
Carol estava tentando se livrar dos amassos e apertos da nova mãe.
– Estou bem mamãe, eu queria sim, atenção, mas você está me sufocando, estou até sem ar!!
– Ooh! Perdoa-me, minha filha! – e pegando a revista começou a abanar a filha – O que você quer? Quer comer? Quer falar? Diga-me.
– Ah mamãe!! Deixe-me respirar!!!
_Você quer respirar? – começou a abanar de novo –
– Não mamãe! Não é isso. É que você está me esgotando com tantos apertos e perguntas.
– Você está esgotada minha vida, minha flor? É melhor se deitar um pouquinho! Quer umas massagens nos pés? Venha, eu tiro o seu tênis!
– Não!! Você não entende mamãe? Sabe de uma coisa? Eu queria que você fosse ao supermercado comprar aquelas bolachas que eu gosto.
– Sim meu docinho de coco. Já tô indo. Você me espera? Não vai ficar com saudades, né?
Com cara de impaciência Carol respondeu:
-Não mamãe. Dou conta de esperar você voltar, pode ir tranqüila.
Carol ficou enjoada por tantos apertos, e gritou com todas as suas forças:
-Senhora do desejo das crianças! Cadê você? É tão difícil me dar o que peço?
-Mas minha querida, você falou que queria uma mãe boa, que lhe desse muito carinho e que a escutasse; o que mais você pode querer? Você é o centro da sua vida!
– Sim. Isso deu para ver de longe! Ela quase me espremeu em seus braços! Eu acho que a mãe deve ser um pouquinho mais firme! Eu quero que seja carinhosa sim, mas, que tenha autoridade, que saiba por em ordem a casa, entendeu?
– Ok menina, mas, deve ficar bem claro que estou dando o que você pediu!
Desejo Concedido!

Entrou então uma mãe com cara de poucos amigos. Ela olhou para Carol de longe e já foi gritando…
– Fica de pé, mocinha! Você quer comer alguma coisa?
Carol respondeu cheia de medo… – Sim…
-Assim não se responde; você deve falar: senhora, sim senhora!
-senhora, sim senhora. Respondeu Carol.
– A partir de hoje o almoço será as 13:00 h; nem um minuto antes nem um minuto depois, não haverá saídas para a rua depois das 20:00 h; a menos que eu vá com você. A televisão só ficará ligada das 17 as 18:00 h; o dever de casa será feito todos os dias; e as 20:00 h você já estará dormindo. Ficou claro para você?
– Senhora, sim senhora…, mas, eu não poderia dormir um pouquinho mais tarde e assistir mais televisão, e…
-Ordens são feitas para serem obedecidas, e não haverá mudanças até um novo aviso. E agora, pode limpar esta bagunça. Eu vou fazer umas compras e quando voltar, quero esta casa impecável; porque senão custara caro para você! Entendeu?
– Senhora, sim senhora.
Quando Carol ficou sozinha, soltou um forte grito:
Senhora, desejo concedido! Você está de brincadeira comigo, né? Você é oito ou oitenta!

– Mas eu dei tudo o que você queria e ainda assim fica brava!? O único que eu queria era que você enxergasse a mamãe que você tem em casa! Vejamos…
Sua mãe faz coisas que você gosta?
-Sim ela faz comidas deliciosas.
– Ela a ouve quando você esta com problemas?
– Sim, ela sempre me ouve, não somente quando estou com problemas, mas também quando quero jogar papo fora.
– Ela disciplina você?
-Sim, mas eu não gosto, não.
– Ninguém gosta, mas essas disciplinas nos fazem crescer dentro de limites, e nos tornam pessoas doces e gente de bom caráter; e disciplina é demonstração de amor. Quem ama disciplina.
– é! não tinha pensado nisso.
– Além disso, ela ama você, e ora por você todos os dias. Ela cria você nos princípios da Palavra de Deus. E talvez você não tenha sido uma filha obediente não acha?
– É! você tem razão! E estou muito arrependida. Eu quero também ser uma serva de Deus como ela, eu quero a minha mãe!!! EU QUERO A MINHA MÃE!!! EU QUERO A MINHA MÃE!!! EU QUERO A MINHA MÃE!!!

-Filha acorda!! É só um pesadelo! Eu estou aqui. Parece que você adormeceu depois de ler essa revista.
-Minha mamãe! Perdoa-me! eu tenho sido uma filha desobediente e não tenho dado o valor que você merece. Eu a amo muito, você é a melhor mãe do mundo, não trocaria você por nenhuma outra!
-Trocar? Do que você esta falando?
-Nada não! Sabe mamãe: hoje tomei o compromisso de ser uma verdadeira cristã! Igualzinha a você!
– Mas que benção minha filha! É a melhor notícia que poderia ter recebido! Eu a amo muito.
-Ah e me perdoa, não limpei nada!
– Não tem problema minha filha; vamos primeiro comer uma pizza gostosa que eu trouxe e depois a gente divide o serviço. Ok?
– Mamãe, você é a melhor mãe do mundo!!!!!!!!!!!!!!

(Fonte)

Rito de Compromisso da Perseverança

As crianças e adolescentes da Perseverança da minha paróquia tiveram uma missa de Páscoa pra lá de especial, pois fizeram seu Rito de Compromisso presidido por nosso pároco, Padre Antonio Neto.
Na primeira parte os perseverantes responderam ao diálogo com o sacerdote e receberam a aspersão com água benta que nos lembra nosso renascimento em Cristo. Depois os pais e responsáveis foram chamados para também eles, juntamente com toda a assembléia reunida, assumirem seu compromisso de apoiarem os filhos e os abençoarem. E finalmente, todos fizeram sua consagração à Nossa Senhora.
Apos a Missa, todos se reuniram para uma oração e distribuição de bombons.
Vejam algumas fotos:




Segue abaixo o Rito de Compromisso na íntegra:

DIÁLOGO COM OS PERSEVERANTES

Sacerdote: Deus ilumina toda pessoa que vem a este mundo. A vocês, que seguiram esta luz, abre-se agora o caminho do Evangelho. Caminhando à luz de Cristo vocês poderão confiar na sua sabedoria e entregar-lhe cada dia mais sua vida. Por isso, eu pergunto a cada um de vocês: o que você quer?

Perseverantes: Quero ser verdadeiro cristão.

Sacerdote: Por que você quer ser cristão?

Perseverantes: Porque creio em Jesus Cristo.

Sacerdote: E o que lhe dará a fé em Cristo?

Perseverantes: A vida eterna.

Sacerdote: Renunciem, então, agora, na presença da comunidade, tudo o que não honra o Deus verdadeiro.

Perseverantes: Jamais nos afastaremos do verdadeiro Deus.

Sacerdote: Diante desta profissão de fé, nós os recebemos com muita alegria na família dos cristãos.

(Os perseverantes são aspergidos com água benta ao som de um canto)

Canto:

Eu te peço desta água que tu tens
És água viva meu senhor
Tenho sede, tenho fome de amor
E acredito desta fonte de onde vens
Vens de Deus, estás em Deus, também és Deus e Deus contigo faz um só
Eu, porém, que vim da Terra e volto ao pó quero viver
eternamente ao lado Teu
És água viva, És vida nova e todo dia me batizas outras vez
Me fazes renascer, me fazes reviver e quero água desta fonte de onde vens

DIÁLOGO COM OS PAIS E ASSEMBLÉIA

Sacerdote: Agora, convoco os pais ou responsáveis aqui presentes para que se aproximem e dêem a sua licença.

(Os pais se aproximam do sacerdote)

Sacerdote: Caros pais, os vossos filhos desejam confirmar seu compromisso de vida cristã. Estais de acordo com esse desejo?

Pais: Estamos.

Sacerdote: Comunidade paroquial, para continuarem neste caminho, estas crianças e adolescentes precisam do auxílio da sua fé e caridade. Por isso, pergunto também a vocês, seus amigos e companheiros: estão dispostos a ajudá-los a crescer na fé?

Todos: Estamos.

(Dirigindo-se aos perseverantes)

Sacerdote: Cristo chamou vocês a terem uma vida nova por sua morte e ressurreição. Para isso, vou marcar sua testa com o sinal da cruz de Cristo, sinal dos cristãos.

(O sacerdote traça o sinal da cruz na testa de cada perseverante dizendo)

Sacerdote: (N) recebe na fronte o sinal da cruz: o próprio Cristo te protege com o sinal da sua vitória. Esforça-te por conhecê-lo e segui-lo.

Perseverante: Amém.

Sacerdote: Oremos: Deus todo-poderoso, que pela cruz e ressurreição de vosso Filho, concedei que estes vossos servos e servas, marcados com o sinal da cruz e seguindo os passos de Cristo, conservem sua vida e a manifestem por palavras e ações. Por Cristo, nosso Senhor.

Todos: Amém.

CONSAGRAÇÃO À NOSSA SENHORA

Sacerdote: Nesta caminhada, contamos com uma fiel companheira: Maria, mãe de Jesus e nossa mãe. Voltando-nos ao altar de Nossa Senhora, vamos a ela consagrar nossas vidas e nossas famílias, para que permaneçamos firmes na fé e na vida nova que Cristo nos trouxe com sua morte e ressurreição, cantando:

Oh, Minha Senhora e também minha mãe
Eu me ofereço, inteiramente, todo a vós.
E em prova da minha devoção, eu hoje vos dou meu coração.
Consagro a vós meus olhos, meus ouvidos, minha boca
Tudo o que sou, desejo que a vós pertença
Incomparável mãe, guardai-me e defendei-me,
Como coisa e propriedade vossa, Amém.

Aproveitando a liturgia de hoje, deixo uma mensagem para essas crianças e adolescentes:

“Nós temos fé em tudo o que Jesus falou. Ele prometeu. Ele cumpriu a palavra. Precisamos acreditar em Jesus, em Deus. Porque Ele não se engana e não engana a ninguém, mas também devemos cumprir as boas promessas que fazemos, porque ter fé em Jesus é cumprir a palavra. É viver como prometemos a Ele.” (Pe. José Dias Goulart)

COMPROMISSO DA SEMANA:

No próximo domingo comemoramos o Dia do Trabalho. Bem sabemos da importância do trabalho em nossa vida. Sabemos também que muitos não têm trabalho e, em alguns casos, chegam a se desesperar por não encontrarem uma maneira de sustentar dignamente a própria família. Durante esta semana, rezemos por todos os que têm trabalho, mas rezemos também pelos que não tem.

Falando a linguagem deles

Quem já pegou turma de adolescente sabe o quanto é dificil falar a linguagem deles e evangelizar de forma que não achem “um saco” não é mesmo?
Então aqui vai uma dica: eu tenho um amigo catequista que faz desenhos muito legais que servem para evangelizar qualquer idade, mas acho que principalmente podem ajudar essa galera antenada chamada adolescente a conhecer Jesus…
Ele criou um blog chamado Sementis Universus onde posta histórias em quadrinhos e me convidou a postar alguns temas de formação também.
Eu escolhi nos marcadores o tema de Larah e copiei aqui para vocês:

Ei, tá esperando o que? passa lá para conhecer os outros heróis!!!

Renovação no crisma

Pistas para cultivar e atrair os jovens em sua paróquia

Em um discurso aos jovens no Estádio do Pacaembu-SP, em maio de 2007, o Papa Bento XVI pediu deles maior compromisso e atuação na Igreja, dentro dos mais diversos espaços de ação. É certo que os jovens acolhem isso com carinho, mas a Igreja precisa orientá-los para viverem essa ação.

Começando a Conversa

Sempre encontramos párocos preocupados com a permanência na Igreja de jovens e adolescentes que recebem o crisma. É comum desaparecem logo após receber tal sacramento. Um bom número deles só volta para casar, outros desaparecem para sempre. E assim, a maioria torna-se “católicos do IBGE”. Muito se tem refletido sobre isso e como fazer para que atuem de modo prático e concreto na Igreja. Exatamente no momento que deveriam viver melhor seu batismo, acabam ficando fora da Igreja.

As Contrariedades

Vozes da catequese e pastorais dizem que jovem é assim mesmo: “Some, mas quando sentir que é hora e momento volta”; ou: “Adolescência e juventude não merece muito crédito, pois nem sempre fazem as coisas certas”; alguns ainda comentam: “Lugar do jovem é com aqueles que são iguais a ele, que fique nos grupos de jovens e somente.” Estigmas sempre evidenciados aos jovens. Concordamos que os grupos de jovens ajudam muito, mas não são e nem devem ser o único meio do jovem ingressar na ação eclesial.

Os Desafios

São tantas possibilidades que o mundo oferece ao jovem. A televisão prende a atenção de maneira inacreditável. Horas a fio em frente à “telinha” sem perceber o tempo passar. O computador, nem se fala! Diante dele o tempo corre como um furacão. Urge deixar de lado a ilusão que jovem tem de descobrir tudo sozinho. Precisamos enfrentar os desafios.

3 passos para enfrentar os desafios

1º Utilize a criatividade.
O jovem é capaz e pode ajudar muito. Cada paróquia tem sua pastoral e os elementos que a especificam. É preciso ser criativo para que a pastoral seja um lugar de acolhimento. Para isso, é preciso convidá-lo a participar dela.

2º Procure engajar o jovem. Isso parece estranho, mas muitos coordenadores de pastorais tem dificuldades em aceitar o jovem nesse processo. Afinal de contas, são idéias e questionamentos novos. A paróquia precisa viver essa reestruturação. Nos primeiros anos haverá dificuldades, mas com o tempo o processo acontece.

3º “Arrisque-se” a entrar no processo.
É certo que em alguns anos haverá renovação paroquial e das lideranças. Coisas que não se pensava aparecerão, como: visão maior de conjunto. Se o processo for bem realizado virá a desacomodação, e a Igreja dará muitos passos.

A Possibilidade
Há, neste grande Brasil, párocos que corajosamente se “arriscam” e ajudam os crismandos a bem viverem sua prática da fé. Há paróquias que, ainda no processo de catequese, os convidam a atuarem como auxiliares na catequese, missionários do dizimo, equipes de canto, liturgia, pastoral da criança, vicentinos-mirins, dentre outros. O segredo é ter coragem de convidá-los para atuarem no que se identifiquem, motivar os que já participam e inserir os que ainda estão fora, fazendo da Igreja uma célula viva, renovada e acolhedora.

Pe. Gelson Luiz Mikuszka, C.Ss.R é Missionário Redentorista da Província Redentorista de Campo Grande Curitiba/PR.

(Fonte)