Chamados a sermos Santos do Reino de Deus

(Vandeia Ramos)


A narração do Evangelho de São Mateus está no começo do Sermão da Montanha, em que, através das Bem-Aventuranças e de parábolas, Jesus vai não só anunciando o Reino, como também o instaurando no coração de todos os presentes. O fio condutor não é mais o “pode” ou “não pode”, característico dos mandamentos e que permeia a Antiga Aliança. Temos aqui um salto qualitativo. Mais que os mandamentos, é o Espírito que os norteiam, é a plenitude, é o Reino.
O Cristianismo não é uma negação do que veio antes, um “tudo pode” ou que “Deus perdoa a tudo porque é misericordioso”, no sentido de liberalismo, do fazer tudo o que quiser, como se a Salvação fosse inevitável e não considerasse a Justiça, a Cruz ou o livre arbítrio. Para nós, é difícil compreender um Deus Justo e Misericordioso, em que um atributo não ignora o outro.
Assim, o anúncio da Boa Nova contempla os que fazem uma escolha radical por Deus, os “violentos de coração”, os que sofrem na carne e no dia a dia a difícil escolha pelo Céu. Somente a partir de Jesus, de Maria, de José e das inúmeras pessoas que continuam o Reino aqui é que podemos vislumbrar o sentido destas palavras, que afirmam que calar não é se omitir, e sim um gesto grandioso de caridade para com o próximo e que nos custa a humilhação de abrir mão do orgulho, do ego, de achar que nós somos a vara da Justiça e do Bem, que nosso dedo está limpo… O grau de exigência está acima do que somos capazes – temos necessidade da graça!
A “pureza de coração”, despir-se de uma falsa concepção de si, traz constantes humilhações, dores… E muita alegria. Como explicar a alegria de Pedro ao apanhar na prisão? De Felipe Néri em viver na miséria com as crianças, na marginalidade da Cidade Eterna? De Lourenço em ser frito em olho fervendo? De Dulce dos Pobres em ser cuspida na feira? Não é masoquismo! É preciso a ousadia heroica de dar o “salto da fé” para viver esta nova realidade.
É preciso a decisão de acreditar no que não podemos ver! Temos inclinações, vontades, desordens… com as quais trariam mais caos e violência ao mundo se cada um se deixasse levar. Podemos ver as consequências nos inúmeros problemas de saúde pelo descaso das autoridades, do desleixo nosso com o lixo, com a higiene, com o cuidado com a família e com os que nos são responsáveis. Não só a morte física paira à nossa volta, como a desesperança, o desespero e a indiferença são sinais de um espírito que se perde…
Jesus nos lembra dos mandamentos, balizas para que possamos respeitar, em uma vida de quem aceita viver o Reino, a começá-lo aqui e agora, como Ele mesmo se fez Modelo. É sinal de sabedoria e de quem toca a eternidade, de uma escolha consciente e corajosa em ter o Coração de Deus como diretriz (e não o momentâneo frenesi que o mundo oferece).
A transcendência, alimentada pela Eucaristia, pelos Mandamentos e pelos Sacramentos, torna-se visível aos olhos do mundo, atraindo a atenção de quem traz em si o desejo íntimo pelo que é mais importante, mas que não sabe por onde seguir. Quem já começou no caminho do Reino, torna-se luz, sal, servo, santo, já vivendo um pouquinho das alegrias que nos esperam no céu…
Nossa vida é um caminho, que pode ser vivida nO Caminho, tornando-se A Vida nA Verdade. Como tal, é a abertura constante e perseverante à Lei do Senhor, no “sim” de quem vai dizendo “não” ao pecado em favor de seguir na direção do Céu, indicando a tantos por onde ir.
Sejamos estes “convidados para a Ceia do Senhor”, seguindo em sua Lei, dando o salto das Bem-Aventuranças, num “sim” não somente com a boca, mas com todo nosso ser!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s