Imaculados na Imaculada

(Vandeia Ramos)

Solenidade da Imaculada Conceição de Maria, dia santo de guarda, precedente no calendário litúrgico do segundo domingo do Advento pelo seu significado diretamente relacionado a Cristo, tendo em vista os mistérios mais profundos da fé, com orações exclusivas, recitação do Credo e do Glória. Podemos compreender melhor no artigo https://pt.aleteia.org/2017/06/09/3-tipos-celebracoes-igreja-memoria-festa-solenidade/
O dogma da Imaculada Conceição, um dos quatro dogmas marianos, sempre foi uma certeza vivida pela Igreja, ainda que o argumento teológico seja recente (1854). Seguindo o pensamento de São João Paulo II, na encíclica Redemptoris Mater (http://www.vatican.va/content/john-paul-ii/pt/encyclicals/documents/hf_jp-ii_enc_25031987_redemptoris-mater.html),  o então Cardeal Ratzinger, chamou a atenção para a necessidade de termos uma compreensão de Nossa Senhora a partir da Sagrada Escritura, em uma Teologia da Mulher (http://www.laici.va/content/dam/laici/documenti/donna/teologia/english/the-sign-of-the-woman-introductory-essay-on-the-encyclical-redemptoris-mater.pdf). Assim, de Gênesis ao Apocalipse, podemos ler a Bíblia sob a ótica da importância da Mulher na história da Salvação.
Desde a criação da pessoa humana, em que Deus lhe deu o dom da vida e do usufruto da Criação, o primeiro casal teve a liberdade em escolher ou não confiar em Deus. Não sabiam o que era a morte, consequência de comer do fruto da árvore do bem e do mal. Precisavam amar o Criador o suficiente para seguir sua orientação. No entanto, somente após acreditarem na serpente que o papel da Mulher é plenamente revelado, em Gn 3, 15, como Aquela em que terá o descendente Salvador e que somente por esta maternidade que a cabeça da serpente será esmagada: Mãe e Filho são associados ao Plano de Deus, em uma Promessa que se renova e permanece.
Quando o anjo Gabriel aparece a Maria, realizando na Filha de Sião a Promessa que perpassou todo o Antigo Testamento, não é através de uma imposição de Deus, e sim respeitando a liberdade da pessoa humana. Uma Nova Criação acontece: Maria tem a mesma condição dos primeiros pais, concebida sem pecado original, e teve uma vivência até então em que estava livre para seguir ou não a Deus, ou seja, afastar-se e pecar. Como os primeiros padres explicam, ela é a nova Eva, trazendo em si todas as gerações anteriores, todas as mulheres que foram prefiguradas ao longo da Antiga Aliança, anunciando a vinda daquela que traria o Salvador com sua própria vida.
Somente deste modo o Espírito poderia pairar sobre Maria e gerar o Filho de Deus. Santíssima Trindade fazendo sua Tenda na Pessoa Humana, que responde plenamente ao convite em amar, não por mérito ou capacidade, e sim pela plenitude da graça. E Nossa Senhora, confiante no Deus que a chama, não em si mesma, dá o seu “sim”, que permanece e se renova a cada dia, com toda a liberdade e consequências que significa. O anjo se retira. Deixa espaço livre para a liberdade em permanecer ou não em Deus.
Só podemos acolher a plenitude da Mensagem da Salvação ao acolher a Imaculada Conceição. Não há Filho sem a Mãe. Não há história da Salvação em que a Mulher não esteja participante com todo seu ser. A Nova Criação retoma a primeira, em que o gênero humano é restaurado em sua graça e liberdade total, e lhe alcança a Plenitude.
Na grandeza de Maria, podemos acolher o quanto Deus é grande e o quanto Ele nos ama como filhos. Por Maria, temos Jesus desde o ventre da Mãe, fazendo-se carne, vivendo nove meses em seu ventre, trinta anos em sua casa, levando uma vida humana ordinária no amor de uma família. E pensar que quem lhe ensina é a Mãe… Como olhar para Jesus feliz em ser Filho de Maria? Escolhendo o caminho da maternidade para vir a nós? Preparando uma Mulher para ser o caminho da Salvação?
A concepção sem o pecado original daquela que vem primeiro, a permanência na graça por liberdade, prepara-nos para acolhermos a Encarnação. E o Mistério continua na retirada do anjo. A carne de Maria, sem participação masculina, vai formando a Carne de Jesus. E isso é muito mais do que formar um corpo, é formar a pessoa humana inteira. Jesus, totalmente humano e totalmente Deus. Temos uma nova Mãe, somos uma pessoa espiritual formada entre o ventre de Maria e a Cruz de Jesus, tendo em vista os méritos de Cristo.
Peçamos à Imaculada Conceição que possamos participar com ela de seu canto, em que Deus faz nela e em nós maravilhas. Que a nossa vida seja renovada para acolhermos com Maria a Jesus, no Natal, na nossa vida, no mundo!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s