Catequista, mediador da misericórdia

(Vandeia Ramos)

hijo-prodigo1
O Evangelho de hoje nos ensina a não desistirmos. Ano a ano podemos encontrar aquele catecúmeno mais difícil, mais resistente, mesmo revoltado e frequentemente agressivo, que está ali obrigado por alguém, e faz de tudo para demonstrar sua irritação. Quando o vemos no início, já pensamos: quem será a / o catequista sorteado? E (quase) desejando que não seja a gente mesmo.
Também temos o que falta, o da família difícil, outro que é indiferente… A parábola fala de 99 ovelhas que ficam e somente 1 que foge. Mas tem momentos que parece justamente o contrário: o rebanho ameaça se perder. E nós nem sempre sabemos o que fazer, como proceder.
A última parábola recebe alguns nomes da crítica teológica: o Filho Pródigo, o Pai Misericordioso, os Dois Irmãos… Vou apontar duas ideias que possam ajudar a pensarmos em nossa realidade.
Quando Jesus narra a história dos dois irmãos e do pai, não sentimos falta de mais alguém? Cadê a mãe / esposa? Fico pensando naquela mulher que, somente com sua presença, mesmo sem falar, não fica sentindo falta do filho mais novo, pensando nos riscos de ir ao mundo, com saudades, de ouvidos atentos em busca de notícias. E esta postura não deixa o pai e o irmão indiferentes. Ao contrário. A presença da mãe o faz lembrar da ausência de um dos filhos. Não ficamos um pouco assim quando algum dos nossos começa a faltar e desiste? Não ficamos esperando qualquer chance de ajudar, ainda que à distância?
Na narrativa, o filho mais velho é chamado a participar da festa do retorno e não fica claro se ele vai ou não. Para nós, Jesus é o Primogênito. Só que Ele não fica no céu cuidando das coisas do Pai, esperando nosso arrependimento e retorno. Muito pelo contrário. Jesus é o irmão que vem ao nosso encontro para estender a mão e nos guiar de volta. Com Ele, sentimo-nos seguros da acolhida. Às vezes falta uma mão estendida para ajudar a quem está longe. Alguém em quem se possa confiar. Alguém que ama incondicionalmente, independente de erros e fraquezas. E, como catequistas e cristãos, somos chamados a ser este alguém no Alguém.
E a imagem do Bom Pastor nos fica mais nítida. O que não é dito, mas subetendido para os ouvintes, é que o Pastor, ao resgatar a ovelha perdida e a conduzir em seus ombros, precisa primeiro quebrar-lhe a perna. O filho mais novo precisou ir parar entre os porcos para se entender e a situação em que se encontrava. Quantas vezes só nos damos conta de nossa pequenez quando somos chamados à realidade de modo frequentemente doloroso?
Já podemos ver esta imagem em Moisés. Mesmo o povo tendo caído na idolatria, ele se associa aos seus para os proteger junto a Deus. Por causa de Moisés, o povo é poupado. Esta é a sorte dos santos, de se colocarem como mediadores entre Deus e as pessoas, oferecendo-se em sacrifício pelos demais. E fica claro quando nos colocamos na defesa dos que mais precisam, das crianças e jovens mais complicados, insistindo que vale a pena continuar.
Que modelo de esperança melhor que o de São Paulo? Tanto aprontou, perseguiu, resistiu. E, no momento apropriado, seu coração se abriu à graça. Sua vida a partir de então não foi das mais tranquilas. Mas ele tinha a missão de conduzir para a família os que estavam mais distantes. E por eles sofreu percorrendo da Palestina à Ásia Menor, até chegar à Roma, do chicote ao naufrágio, para que o Evangelho chegasse a todos. E ainda nos deixa: “ai de mim se eu não evangelizar!”
Ai de nós, catequistas, se não evangelizarmos. Ai de nós se não testemunharmos com nossa vida o quanto Deus faz maravilhas por nós. Ai de nós se não formos presença da Misericórdia. Ai de nós, se não formos outros Cristos junto aos nossos catecúmenos.
Somente, então, ao chegar à nossa hora, poderemos cantar com os santos: “Vou agora levantar-me. Volto à casa do meu Pai.”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s