Um momento sagrado em minha vida

Eu estou fazendo o curso “Escola Catequética Paroquial” e tivemos a experiência de escrever nossa Teografia, você sabe o que isso significa?

Até então eu também não sabia e pesquisei o seguinte:

O termo “teografia”, foi criado por um teólogo espanhol, e tem como objetivo ajudar as pessoas a perceberem as marcas de Deus na própria vida; [teo-grafia = escrita de Deus].
Para todo mundo, existem momentos particularmente importantes e marcantes na própria vida. Dizendo de outra forma, para todo mundo, existem eventos, tempos e locais sagrados que marcam a vida e dão novos significados.

E do “resumo” de duas páginas dos meus momentos sagrados que escrevi para apresentar no curso, lembrei deste que vou testemunhar a vocês:

Eu tinha uns 18 anos e estava subindo a rua da minha paróquia, atrasada para o encontro do Crisma e passei rápido por um morador de rua que ficou me olhando. Não parei para dar atenção, mas aquele olhar me tocou, algo diferente, como se quisesse falar comigo…

Neste encontro, tivemos um momento de adoração onde tocou esta música:

morador de rua

Seu nome é Jesus Cristo
Pe. André Luna

Seu nome é Jesus Cristo e passa fome
E grita pela boca dos famintos
E a gente quando vê passa adiante
Às vezes pra chegar depressa a igreja

Seu nome é Jesus Cristo e está sem casa
E dorme pelas beiras das calçadas
E a gente quando vê aperta o passo
E diz que ele dormiu embriagado

Entre nós está e não O conhecemos
Entre nós está e nós O desprezamos

Seu nome é Jesus Cristo e é analfabeto
E vive mendigando um subemprego
E a gente quando vê, diz: “é um à toa
Melhor que trabalhasse e não pedisse”

Seu nome é Jesus Cristo e está banido
Das rodas sociais e das igrejas
Porque d’Ele fizeram um Rei potente
Enquanto Ele vive como um pobre

Entre nós está e não O conhecemos
Entre nós está e nós O desprezamos

Seu nome é Jesus Cristo e está doente
E vive atrás das grades da cadeia
E nós tão raramente vamos vê-lo
Dizemos que ele é um marginal

Seu nome é Jesus Cristo e anda sedento
Por um mundo de Amor e de Justiça
Mas logo que contesta pela Paz
A ordem o obriga a ser de guerra

Entre nós está e não O conhecemos
Entre nós está e nós O desprezamos

Seu nome é Jesus Cristo e é difamado
E vive nos imundos meretrícios
Mas muitos o expulsam da cidade
Com medo de estender a mão a ele

Seu nome é Jesus Cristo e é todo homem
E vive neste mundo ou quer viver
Pois pra Ele não existem mais fronteiras
Só quer fazer de todos nós irmãos

Entre nós está e não O conhecemos
Entre nós está e nós O desprezamos

Podem imaginar o quanto eu chorei neste momento, não é?

Ao final do encontro teve aquele lanche partilhado, ainda mais caprichado, pois era um momento de confraternização de final de ano…

Eu peguei um pratinho e coloquei um pouco de cada coisa, pensando em levar para minha mãe, que sempre gostou dessas guloseimas, mas ao descer a rua estava aquele mesmo homem sentado me olhando.

Eu pensei: “minha mãe vai ter uma ceia de Natal e uma família linda reunida”

E me aproximei dele perguntando se estava com fome.

Ele disse: “quero um café”

Eu disse que não tinha café nem dinheiro para comprar, mas se ele quisesse eu daria o pratinho com o lanche.

Então, ele me perguntou: “você me ama?”

Meu coração ardeu e me deu um frio na barriga, lembrando da música…

E eu respondi: “sim, eu te amo”

E ele pegou o pratinho e não falou mais nada.

Nunca mais vi este homem.

Mas sei que Ele me vê todos os dias…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s